Zequinha, um dos criminosos mais procurados do Brasil, é preso no interior de SP

Condenado por crimes no Brasil e Mercosul, Luciano Castro de Oliveira é considerado criador e líder de quadrilhas que atuam em roubo a bancos

Julyanne Jucá e Henrique Andrade, da CNN em São Paulo
17 de setembro de 2020 às 11:43
Zequinha, um dos criminosos mais procurados do Brasil, foi preso no interior de São Paulo
Foto: Divulgação/ Polícia Militar

Um dos criminosos mais procurados do Brasil foi preso nesta quinta-feira (17), em Avaré, no interior de São Paulo. Luciano Castro de Oliveira, conhecido como Zequinha, já foi condenado pela participação em diversos crimes no Brasil e também em outros países do Mercosul.

Equipes das polícias Civil e Militar localizaram Zequinha na área rural de Tejupá, às margens da represa Jurumirim, na região de Avaré. A ação ocorreu durante a Operação Divisas Integradas, realizada pelas secretarias de Segurança Pública do Paraná e de São Paulo.

Foi necessário um esquema estratégico com equipes da Força Tática do 12º e 53º Batalhão de PM do Interior, além de agentes da Polícia Civil da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) da cidade.

Duas embarcações do 1º Batalhão de Polícia Ambiental, o Comando de Policiamento do Interior (CPI-7), com apoio de drone, além de cães farejadores auxiliaram nas buscas.

Assista e leia também:

PF faz operação no Brasil e no Paraguai contra tráfico internacional de drogas

Operação do Ministério Público cumpre mandados contra líderes do PCC em SP

Histórico criminal

Zequinha foi condenado pela primeira vez em 1992, por roubo ao Banco Industrial Comercial (BIC), em Campinas, mas foi libertado dois anos depois após a concessão de indulto presidencial, por Itamar Franco.

As informações são do Ministério da Justiça e Segurança Pública, que o colocou em primeiro lugar na lista de procurados do país.

A elaboração da lista leva em consideração a existência de mandado de prisão aguardando cumprimento, o envolvimento em crimes graves e violentos, a participação direta ou indireta em organização criminosa, a inclusão da pessoa na na Lista da Interpol (Difusão Vermelha), entre outros fatores.

Luciano também foi condenado em outros processos judiciais, por uma variedade de crimes, como latrocínio, formação de quadrilha, porte ilegal de arma, uso de documento falso, roubo, extorsão e sequestro.

Os criminosos mais procurados do Brasil, segundo lista elaborada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública
Foto: Reprodução/ Ministério da Justiça

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que ele chegou a ser condenado a 30 anos de prisão e tinha um mandado de prisão preventiva em aberto, porém fugiu do sistema penitenciário em 2001.

Em 2005, Luciano foi preso novamente por formação de quadrilha e nome falso, detido por cavar túnel em direção a um banco em São Paulo. Após obter liberdade, o criminoso foi investigado em 2006 por tentativa de furto ao Banco ABN Amro, em Assunção, capital do Paraguai, também por meio da construção de um túnel.

Luciano é considerado criador e líder de quadrilhas que atuam em roubos contra empresas de transportes de valores, agências bancárias e redes varejistas de eletroeletrônicos, na região de Campinas, com a utilização de explosivos e armamentos de grosso calibre.

O último mandado de prisão expedido contra Zequinha foi em 2017, por suspeita de coordenar ataque a carro-forte, em Itupeva, interior de São Paulo.