Trio é preso após vender testagem para Covid-19 em aeroporto em SP

Ao custo de R$ 350, o exame era feito no porta-malas de um carro e sem nenhuma medida sanitária

Gustavo Lago, da CNN, em São Paulo
22 de setembro de 2020 às 12:04 | Atualizado 22 de setembro de 2020 às 13:36

Três pessoas são investigadas por realizarem testes para a constatação da Covid-19, sem autorização, no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

Segundo o delegado Luiz Alberto Guerra, titular da Delegacia do Aeroporto de Guarulhos, os suspeitos foram detidos em flagrante, no edifício garagem do Terminal 3, após denúncia da equipe da segurança local, no último sábado (19).

Ainda de acordo com as informações, apesar de usarem aventais brancos, toucas e máscaras, os testes para Covid-19 eram feitos no porta-malas de um carro, sem condições de sanitização.

Leia e assista também:
Taxistas são intimidados por motoristas clandestinos no Aeroporto de Guarulhos
Companhia aérea oferece voo de sete horas a lugar nenhum
Chances de pegar Covid-19 em avião são menores do que se pensa, dizem cientistas

Funcionário com roupa de proteção no aeroporto de Guarulhos
Foto: Roosevelt Cassio/Reuters (1º.abr.2020)

Uma técnica de enfermagem; uma microempresária; e um gerente comercial, abordavam passageiros com destino à Europa, os informando que precisavam dos testes RT-PCR para o embarque e cobravam R$ 350, com a promessa do resultado em 20 minutos, segundo relatado por uma das vítimas.

Alguns países, como Portugal e França, exigem que os passageiros apresentem este tipo de teste para permitir a entrada em seus territórios.

Com o trio, foram apreendidos 17 cotonetes, 19 testes, 32 frascos contendo um líquido e um termo de consentimento para a coleta do exame.

A investigação revela que o trio pertence a uma empresa de atendimento médico constituída. No entanto, o aeroporto não tinha conhecimento desta operação. A polícia ainda aguarda os resultados da perícia para saber se os exames eram verdadeiros.

Os três prestaram depoimento e foram liberados. O caso foi registrado como tentativa de estelionato e infração de medida sanitária na 3ª Delegacia Especializada em Atendimento ao Turista (Deatur) do Aeroporto de Guarulhos.