São Paulo tem setembro com mais queimadas em 22 anos

Apenas no mês, foram contabilizados 2.008 pontos de calor - o maior número já registrado em setembro no estado

Giovanna Bronze, da CNN, em São Paulo
28 de setembro de 2020 às 15:17
Apesar dos maiores incêndios estarem concentrados no Pantanal (foto) e Amazônia, SP sofre com queimadas
Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros do Mato Grosso do Sul

 

O estado de São Paulo registrou, até 27 de setembro, 4.752 focos de incêndio, segundo o monitoramento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Apenas no mês, foram contabilizados 2.008 pontos de calor - o maior número já registrado em setembro no estado. Até então, a máxima registrada pra o mês foi 1.930, em 2017. 

Leia mais:
Setembro de 2020 no Amazonas já tem 45% mais queimadas do que em 2019

De agosto para setembro, o estado paulista registrou um aumento de 80,7%, subindo de 1.111 para 2.008. No entanto, como o mês ainda não terminou, é esperado que o aumento seja ainda maior. 

São Paulo teve um aumento de 142,2% no período de 01 a 27 de setembro em 2019, que teve 829 focos. Quando comparado com o total mensal de 2019 (872), o aumento neste ano é de 130,2%. 

Com os 4.752 focos de incêndio, o estado paulista tem 64,6% mais do que o registrado no ano passado, 3.074. Os pontos de queimadas identificados pelo Inpe em 2020 são maiores do que os números totais dos últimos 10 anos: 2019 (3.074), 2018 (3.021), 2017 (3.905), 2016 (3.187), 2015 (1.812), 2014 (4.490), 2013 (2.392), 2012 (2.666) e 2011 (4.186).