Onda de calor faz Inmet emitir alerta para risco de morte em parte do Brasil

Até a próxima sexta-feira (9), parte da região Centro-Oeste e do estado do Tocantins devem registrar temperaturas acima da média

Marília Ribeiro e Bia Gurgel, da CNN, em Brasília
06 de outubro de 2020 às 07:01 | Atualizado 06 de outubro de 2020 às 15:33

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta de "grande perigo" até a próxima sexta-feira (9). De acordo com o Instituto, há risco de morte por hipertermia em grande parte da região Centro-Oeste e no estado do Tocantins, no Norte do país.

Leia também:

Correspondente Médico: Qual a temperatura máxima que o corpo pode aguentar?
Calor recorde pede mais atenção e cuidados com crianças, idosos e pets

Segundo o Inmet, as temperaturas registrarão 5ºC acima da média na região, por mais de 5 dias consecutivos. O aviso registra alerta para as seguintes áreas: Distrito Federal, Centro Sul Mato-Grossense, Nordeste Mato-Grossense, Norte Mato-Grossense, Sudeste Mato-Grossense, Sudoeste Mato-Grossense, Centro Goiano, Leste Goiano, Sul Goiano, Norte Goiano, Noroeste Goiano, Sudeste Tocantinense, Sul Tocantinense, Oeste Tocantinense.

Mapa mostra os alertas para ondas de calor no Brasil
Mapa mostra os alertas para ondas de calor no Brasil; os locais em vermelho estão em "grande perigo"
Foto: Reprodução - 04.out.2020 / Centro Virtual para Avisos de Eventos Meteorológicos Severos

O alerta foi emitido para que as pessoas tenham cuidados redobrados com a saúde nos próximos dias. Em caso de emergência, o Inmet recomenda que a população contate a Defesa Civil (telefone 199). Algumas recomendações devem ser seguidas no período. Entre elas, evitar a prática de atividades ao ar livre entre 10 horas e 17 horas, usar protetor solar e aumentar a ingestão de líquidos. Crianças e idosos precisam de atenção especial.

Calor no DF

No Distrito Federal há chances de chuva somente a partir do próximo sábado (10). No último domingo (4), foi registrado recorde de temperatura em 2020, de 36,7°C, e segundo o Inmet, há chances de o Distrito Federal atingir novas máximas nesta semana.

São Paulo

A Defesa Civil de São Paulo também emitiu um aviso para as fortes ondas de calor que se aproximam do estado. O Inmet alerta para perigos de incêndios florestais e risco de morte por hipertermia.

As temperaturas na região metropolitana de São Paulo, no litoral norte e algumas cidades do interior, como Sorocaba, Campinas, Itapeva, Franca e Serra da Mantiqueira, poderão variar entre 30° e 39°. Para esta terça (6), a previsão na Grande SP é chegar à máxima de 37°.

Outras cidades do interior, como Ribeirão Preto, Bauru, São José do Rio Preto, Araçatuba, Marília, Presidente Prudente, Araraquara e Barretos, poderão ultrapassar os 40°.

Entenda as causas 

À CNN, o meteorologista Mamedes Luiz Melo, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), explicou que a onda de calor é resultado de "um conjunto de fatores". "Pode ser queimadas  e esse período muito longo sem chuvas, então isso começa a fazer com que a temperatura aumente", disse ele.

Segundo o especialista, isso pode levar a novos recordes de temperatura nesta semana. "Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e até o oeste de São Paulo vão sofrer essa semana com aumento de temperatura incrementado com onda de calor", acrescentou.

Por fim, Mamedes informou que a tão desejada chuva deve ser pontual e apenas em regiões do MS nesta semana. As mais intensas devem ocorrer a partir do dia 10, no Centro-Oeste, aumentando entre dias 11 e 12.

Classificação do Inmet

O Inmet divide sua classificação de avisos meteorológicos em quatro nível (e cores), de acordo com a severidade.

O primeiro nível (verde) é aplicado quando não há previsão de eventos anormais, ou seja, quando a situação meteorológica não inspira cuidado/atenção.

O segundo nível (amarelo) vale para situações de perigo potencial. Nesses casos, o Inmet recomenda que as pessoas se mantenham informadas sobre as condições meteorológicas previstas e não corram risco desnecessário.

O terceiro nível (laranja) diz respeito a situações de perigo. Neste caso, o instituto diz que as pessoas estar atentas para evitar exposição a riscos inevitáveis e devem seguir conselho das autoridades.

O quarto e último nível (vermelho), o atual em grande parte da região Centro-Oeste e no Tocantins, é aplicado para momentos de grande perigo.

“Estão previstos fenômenos meteorológicos de intensidade excepcional (...) grande probabilidade de ocorrência de grandes danos e acidentes, com riscos para a integridade física ou mesmo à vida humana”, diz a classificação. Além de seguir os conselhos das autoridades o Inmet recomenda que as pessoas se preparem para “medidas de emergência”.

(Com informações de Julyanne Jucá e Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo)