Secretaria de Segurança de São Paulo suspende compra de espadas para GCM

´Reportagem da CNN mostrou que a compra custaria R$ 54.750,00 aos cofres públicos

Carolina Figueiredo e José Brito, da CNN, em São Paulo
22 de outubro de 2020 às 12:46
CNN teve acesso a proposta para fornecer espadas à Guarda Civil Metropolitana de SP
Foto: Reprodução

A Secretaria Municipal de Segurança Urbana de São Paulo suspendeu, por meio de despacho, a autorização de abertura de licitação para a compra de quinze espadas estilo imperial para a Guarda Civil Metropolitana (GCM) da cidade. A CNN mostrou na semana passada que a compra custaria R$ 54.750,00 aos cofres públicos.

A suspensão do processo licitatório deve ser publicada no Diário Oficial do Município desta sexta-feira (23). O Sindicato dos Guardas Civis Metropolitanos de São Paulo (Sindguardas-SP) já havia apresentado, na quarta-feira (21), uma representação ao Tribunal de Contas do Município para que a autorização da compra fosse revogada.

Leia também:
Prefeitura proíbe uso de mata-leão por agentes da Guarda Civil de São Paulo

De acordo com o presidente do sindicato, Evandro Fucitalo, a secretaria resolveu suspender a compra após pressão do grupo e críticas da opinião pública.

"Essas espadas não têm nenhuma utilidade prática para a GCM, várias unidades da guarda estão em situação precária e eles abrem licitação para comprar espada? Achamos um absurdo. Entramos com representação no TCM, e a reportagem da CNN também causou repercussão, e aí eles decidiram suspender a licitação", afirma Fucitalo.

Para os servidores, a compra é inútil e não contempla as reais necessidades da secretaria. Os guardas afirmam que o efetivo enfrenta a falta equipamentos individuais de segurança usados para evitar o contágio pela Covid-19, como máscaras e protetores faciais.

A Secretaria Municipal de Segurança Urbana confirma que, em razão do iminente término do exercício orçamentário, bem como do surgimento de outras demandas emergenciais, revogou a autorização para abertura de certame licitatório, na modalidade pregão, para a aquisição das 15 espadas.

Procurada pela CNN quando o processo de licitação foi aberto, a Prefeitura de São Paulo disse que a Guarda Civil Metropolitana, desde o ano de 1997, utiliza espadas em eventos como solenidades cívicas e militares, e que as mesmas não são distribuídas ao efetivo de guardas.