Abin alerta Justiça Eleitoral para ameaça de saques e fogo em ônibus no Amapá

Agência identificou a organização de atos de vandalismo por grupos criminosos, caso a eleição municipal fosse mantida na capital Macapá, atingida pelo apagão

Thais Arbex
Por Thais Arbex, CNN  
12 de novembro de 2020 às 17:51 | Atualizado 12 de novembro de 2020 às 19:42

Relatório sigiloso da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) entregue ao Tribunal Regional Eleitoral do Amapá e enviado ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) identificou a organização de atos de vandalismo por grupos criminosos, caso a eleição municipal fosse mantida na capital Macapá no próximo domingo (15). 

Em um dos áudios captados pelas autoridades de inteligência, e obtido pela CNN, um homem diz que “se não chegar energia pra ele, mano, tu já viu, vamo pegar o barato e fazer um bagulho doido: tacar fogo em carro, ônibus, saquear loja, quebrar tudo. Endoidar o bagulho daquele jeitão”. 

A CNN apurou que, segundo o monitoramento da Abin, os atos estavam sendo articulados para o dia da eleição. Em outra mensagem disparada entre os criminosos, que também consta no relatório sigiloso da agência, eles dizem: “Vamos tacar o terror”.

De acordo com relatos feitos à CNN, as autoridades de segurança do Estado relataram à Justiça Eleitoral dificuldade de a Polícia Militar garantir a segurança dos eleitores na capital. O efetivo de policiais estaria reduzido por conta da pandemia do novo coronavírus.

Amapá sofre apagão após incêndio em subestação; Macapá decreta calamidade pública e população sofre com crise de desabastecimento (06.nov.2020)
Foto: Maksuel Martins/Estadão Conteúdo