SP adia reclassificação de regiões após falha em sistema do Ministério da Saúde

Governo paulista anuncia que Plano SP será atualizado em 30/11 por precisar de, ao menos, 14 dias para estabilização dos dados de casos e de óbitos

Julyanne Jucá, da CNN, em São Paulo
16 de novembro de 2020 às 15:34 | Atualizado 17 de novembro de 2020 às 12:21
Governo de São Paulo adiou atualização do Plano SP para 30 de novembro
Foto: Divulgação - 16.nov.2020/Governo de SP

O Governo de São Paulo anunciou o adiamento da atualização do Plano SP, que rege a reabertura econômica do estado, e optou por reclassificar as regiões do estado um dia após o segundo turno das eleições municipais. A mudança leva em consideração uma falha no sistema do Ministério da Saúde

Na última semana, o Ministério confirmou que houve problema nos sistemas de toda a pasta, sem dar detalhes. No estado de SP, o transtorno no Sivep-gripe afetou diretamente a inclusão dos dados de novos casos e óbitos pelos municípios paulistas, bem como a extração deles pela Secretaria da Saúde.

“A atualização do Plano SP, em virtude da pane no sistema de dados do Ministério da Saúde será feita no dia 30 de novembro. A falta de informações sobre casos e óbitos durante seis dias da semana passada, causada por uma pane no sistema do Ministério da Saúde, afetou a normalização das informações dos dados em todo o Brasil e aqui em SP em especial”, disse o governador João Doria (PSDB).

Assista e leia também:
Governo de SP suspende fase azul e 2020 não terá autorização para aglomeração
Seis regiões de SP, incluindo a capital, vão à fase verde do plano de reabertura
Aulas presencias na rede estadual de São Paulo vão retornar em fevereiro de 2021

Em paralelo à isso, o secretário de Saúde Jean Gorinchteyn alertou para o aumento de 18% nas internações em hospitais públicos e privados na última semana epidemiológica, em comparação com a anterior, o que também afetou na escolha no adiamento. A média semanal saltou de 859 para 1.009 internações.

“O Censo Covid-19 revelou aumento de 18% no número de internações na rede pública e privada. Esses dados, porém, ainda não foram consolidados, devido à instabilidade no sistema Sivep-Gripe, do Ministério da Saúde. Por precaução e responsabilidade, o Governo do estado optou por não realizar a reclassificação do Plano SP”, disse o secretário.

A secretária de Desenvolvimento Econômico de São Paulo, Patrícia Ellen, explicou o motivo para o governo decidir atualizar o Plano SP apenas daqui duas semanas, após as eleições municipais.

“Os dados de casos e de óbitos somente se estabilizarão, de acordo com pronunciamento do governo de federal, hoje. Então, se contarmos de hoje até a próxima atualização para que façamos de uma forma segura, nós precisamos de 14 dias e por isso a recomendação de fazer no dia 30 de novembro.”

Nesta segunda-feira, estado de São Paulo contabiliza 40.576 mortes pela doença e 1.169.377 casos confirmados. Em relação à taxa de ocupação dos leitos de UTI, o estado registra 42,3% e a Grande São Paulo 47,3%.