Oposição do Senado protocola pedido de CPI para investigar apagão do Amapá

A intenção da CPI é investigar também “a responsabilidade das empresas concessionárias e dos responsáveis pelas fiscalizações"

Larissa Rodrigues, da CNN, em Brasília
20 de novembro de 2020 às 16:30 | Atualizado 20 de novembro de 2020 às 16:32

 

O senador Randolfe Rodrigues (AP-REDE) protocolou, na tarde desta sexta-feira (20), um requerimento para que seja criada uma Comissão Parlamentar de Inquérito no Senado para investigar as causas do apagão que atinge o estado do Amapá há mais de duas semanas. O pedido já conta com o apoio da oposição, no entanto, para que o colegiado seja criado, é preciso no mínimo 27 assinaturas de senadores.

De acordo com o documento, a intenção da CPI é investigar também “a responsabilidade das empresas concessionárias - Linhas de Macapá Transmissora de Energia, Isolux Projetos e Instalações LTDA e Gemini Energy - e dos responsáveis pelas fiscalizações - eventuais omissões do Operador Nacional do Serviço Elétrico, União (Poder Executivo - Ministério de Minas e Energia) e Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)”.

No requerimento, Randolfe afirma que esse é “o pior apagão da história recente” e que “um crime deste tamanho só poderia ocorrer com falhas em série de vários atores integrantes do Sistema Elétrico Brasileiro”. A expectativa é que, na próxima semana, o Senado já tenha os votos necessários para a instalação da CPI.

População do Amapá passa por dificuldades por conta de apagão prolongado
Foto: Rudja Santos/Amazônia Real

Leia e ouça também:
Governo avalia medida provisória para isentar conta de luz de população do Amapá
Fernando Molica: Alcolumbre tenta mostrar ação ao levar Bolsonaro para o Amapá
Podcast: Amapá no escuro e uma luz no fim do túnel no Congresso

Randolfe Rodrigues encerra o documento afirmando ainda que “o crime que ocorreu no Amapá pode ocorrer em outras unidades da Federação” e que cabe ao “Senado Federal apurar as suas causas, indicar os responsáveis para punição exemplar e analisar quais melhorias devem ser feitas”.

A população do Amapá enfrenta uma crise por causa de um apagão que afeta o estado desde o dia 3 de novembro, quando uma subestação de energia pegou fogo e comprometeu a distribuição de eletricidade. Dos 16 municípios no Amapá, 13 ficaram sem energia elétrica. A situação está sendo normalizada gradualmente.