28% das crianças brasileiras estudam em escolas sem saneamento básico

Falta de serviços básicos afeta desempenho no futuro

da CNN, em São Paulo
24 de novembro de 2020 às 20:31

Um dado preocupante sobre a falta de saneamento básico em escolas brasileiras escancara uma realidade muitas vezes invisível.

Cerca de 28% das crianças matriculadas na pré-escola não têm acesso a água e esgoto tratados. Sem isso, elas ficam vulneráveis a todo tipo de doença, inclusive a Covid-19.

O problema afeta escolas em todo o país. Segundo dados do Observa (Observatório do Marco Legal da Primeira Infância), na região Norte do país, 75% das crianças na pré-escola não têm acesso a saneamento básico.

No Nordeste, esse índice chega a 42%. No Centro-Oeste a falta de tratamento do esgoto é de 39%.

Assista e leia também:

Pediatras defendem volta às aulas presenciais: 'Crianças transmitem muito menos'

SP: alunos que não fizeram atividades durante pandemia podem ser reprovados

28% das crianças brasileiras estudam em escolas sem saneamento
Foto: CNN (24.nov.2020)

A realidade só fica um pouco melhor no Sul e Sudeste, onde 6% e 24%, respectivamente, das crianças não têm acesso a serviços básicos do saneamento.

À CNN, Priscila Cruz, presidente-executiva da organização, sem fins lucrativos, Todos Pela Educação, avalia que a situação, ano após ano, tem melhorado, apesar que da forma lenta, especialmente entre os mais pobres.

“As melhoras mais intensas acontecem nas áreas mais urbanas. Já as áreas mais pobres precisam de investimento, como recursos bem implementados”, explicou. 

(Publicado por Sinara Peixoto)