Conheça os vencedores do Prêmio Notáveis CNN 2020

Premiação focou em nomes que se destacaram por suas ações positivas durante a pandemia da Covid-19 neste ano

Da CNN, em São Paulo
13 de dezembro de 2020 às 22:47 | Atualizado 14 de dezembro de 2020 às 11:57

 

"As imagens desta bela e grandiosa sala vazia são símbolo do ano difícil e histórico que vivemos." Foi assim que a apresentadora Carla Vilhena abriu a cerimônia de entrega do Prêmio Notáveis CNN na Sala São Paulo, o maior auditório de concertos musicais da América Latina.

A premiação, que ocorre pela primeira vez neste ano e focou em nomes que se destacaram por suas ações positivas durante a pandemia da Covid-19, prestou tributo a entidades, empresas e pessoas de nove categorias, além de uma categoria especial, chamada Herói do Ano, para reconhecer profissionais de saúde anônimos que atuaram na linha de frente, salvando as vidas de milhões de brasileiros.

Assista e leia também:
CNN Brasil é eleita veículo de comunicação do ano no Melhores do Propmark 2020
CNN Brasil vence o Caboré, principal prêmio de comunicação do Brasil
Pesquisas mostram que CNN é o canal de notícias mais imparcial do país

O historiador e âncora do CNN Tonight Leandro Karnal falou sobre o significado da palavra "notável" ao longo do tempo.

"Às vezes, uma palavra revela muito do que se pensa sobre um tema. No caso específico que nós queremos, existe uma palavra latina: notabilis. Mas existem dois sentidos para ser notável. É aquilo que a sociedade considera notável, um patrício em Roma, um nobre na Idade Média", explicou.

"E existe um sentido contemporâneo para notável. É alguém que se destacou. Alguém que, em meio ao mesmo, ao repetitivo, conseguiu estar acima da média, tornou-se notável", acrescentou o historiador.

Karnal ressaltou que "os notáveis aparecem na história em momentos de crise, não em momentos de estabilidade. Um momento como o nosso, de pandemia, é um momento para identificar notáveis".

Veja abaixo os vencedores de todas as categorias que compõem o Prêmio Notáveis CNN de 2020:

Tecnologia: iFood

CFO do iFood, Diego Barreto, durante cerimônia do Prêmio Notáveis CNN 2020
CFO do iFood, Diego Barreto, durante cerimônia do Prêmio Notáveis CNN 2020
Foto: Renato TK

Na categoria Tecnologia, que teve como indicados iFood, Rappi e Stone, o prêmio foi para o iFood. O CEO da empresa, Fabricio Bloisi, falou sobre como a pandemia obrigou a empresa a mudar de estratégia em pouco tempo.

"Esses meses foram os mais desafiadores de nossa vida. Tudo mudou em questão de dias, a empresa inteira passou a operar de um jeito diferente."

Quem recebeu o troféu foi o CFO do iFood, Diego Barreto. "A gente está muito feliz por ser uma empresa brasileira, tocada por garotos e garotas que entendem muito de tecnologia e inteligência artificial de ponta e que estão fazendo o bem para o país. Muito obrigado", disse ele.

Diversidade: Vivo

vice-presidente de Pessoas da Vivo, Niva Ribeiro, durante cerimônia do Prêmio No
A vice-presidente de Pessoas da Vivo, Niva Ribeiro, durante cerimônia do Prêmio Notáveis CNN 2020
Foto: Renato TK

Na categoria Diversidade, que teve como indicados empresas como Ambev, Magazine Luiza e Vivo, o prêmio foi para a Vivo. "Homens e mulheres negros são, historicamente, os mais vulneráveis durante crises econômicas", destacou a apresentadora Luciana Barreto.

O CEO da Vivo, Christian Gebara, falou sobre a importância da diversidade dentro das empresas. "Além de gerar inclusão e aceitação, ela gera inovação", disse.

Quem recebeu o troféu foi a vice-presidente de Pessoas da Vivo, Niva Ribeiro. "Estamos muito felizes. É o reconhecimento de um trabalho feito por todo o time, que vem moldando a cultura da Vivo para que seja mais diversa, mais inclusiva", afirmou.

Sustentabilidade: Ambev

Vice-presidente de relações corporativas da Ambev, Carla Crippa, durante cerimôn
Vice-presidente de relações corporativas da Ambev no Brasil, Carla Crippa, durante cerimônia do Prêmio Notáveis CNN 2020
Foto: Renato TK

Na categoria Sustentabilidade, que teve como indicados Ambev, CPFL Energia e Grupo Malwee, o prêmio foi para a Ambev. A vice-presidente de relações corporativas da empresa no Brasil, Carla Crippa, falou sobre as ações tomadas quando a pandemia chegou ao país.

"Quando a gente pensa no guaraná, tem uma embalagem de "caçulinha", que é bem pequena e estava em falta para o álcool em gel no mercado. Ela é feita de PET, então seria perfeita para isso", explicou.

"E a gente sabe produzir bebida alcóolica, cerveja. E a gente sabe tirar o álcool da cerveja para produzir o álcool em gel, que estava em falta no mercado. Com o PET, que também é utilizado em nossas embalagens, a gente conseguiu fazer três milhões de máscaras de proteção facial", enumerou Crippa.

Ela recebeu o troféu em nome da Ambev e agradeceu pelo reconhecimento. "É uma honra, uma felicidade muito grande receber esse prêmio. A crise pegou todo mundo de surpresa com muita dor, muita dificuldade. Entramos por inteiro, doando para o Brasil o que temos de melhor, que são nossas pessoas, agilidade e inovação", destacou.

Responsabilidade Social: Santander

O presidente do Banco Santander Brasil, Sergio Rial, durante cerimônia do Prêmio
O presidente do Banco Santander Brasil, Sergio Rial, durante cerimônia do Prêmio Notáveis CNN 2020
Foto: Renato TK

Na categoria Responsabilidade Social, que teve como indicados Grupo P&G, Itaú, Santander e Ypê, o prêmio foi para o Santander. A superintendente executiva de Sustentabilidade da empresa, Karine Bueno, comentou as ações tomadas pelo banco durante a pandemia.

"A gente queria uma causa que unisse os 40 mil funcionários em busca de uma causa comum", disse.

"No começo, tivemos o programa Amigo de Valor, para hospitais, com a participação de funcionários e do próprio banco, doando mais de R$ 7 milhões. Depois, com mais de 20 mil pessoas participando em lives, tivemos a arrecadação de mais de 800 toneladas de alimentos. Por fim, tivemos a Semana Santander, em que tudo foi direcionado para uma ação, que é a Mães de Favela", enumerou Bueno.

A partir de uma parceria com a Central Única das Favelas (Cufa), mais de R$ 7 milhões foram doados ao Mães de Favela. O presidente da Cufa em São Paulo, Marcivan Barreto, falou sobre o projeto.

"Além da cesta básica e do kit de materiais de limpeza, muitas dessas mães precisam de outros itens. Quando você fecha uma parceria como a do Santander com a Cufa, você consegue dar um cartão para essas mães", explicou Barreto.

O presidente do Banco Santander Brasil, Sergio Rial, recebeu o troféu e parabenizou a equipe. "Parabéns a todos aqueles do Santander que fizeram do ano de 2020 um ano de transformação, em que o conceito de doação passa a ser parte da cultura."

Inovação e Qualidade: Via Varejo

O diretor da Via Varejo, Hélio Muniz
O diretor de Comunicação Corporativa, Diversidade, Sustentabilidade e Relações Institucionais da Via Varejo, Hélio Muniz, durante entrega do Prêmio Notáveis CNN 2020
Foto: Renato TK

Na categoria Inovação e Qualidade, que teve como indicados XP Investimentos, Via Varejo e Uber, o prêmio foi para a Via Varejo. O CEO da companhia, Roberto Fulcherberguer, falou sobre como a pandemia impactou os negócios. "Nenhum executivo do planeta estava preparado para uma situação como essa. Perder 70% do faturamento do dia para a noite? Era uma questão de sobrevivência a gente achar a solução", relatou.

"Quando começou a acontecer no Brasil e autoridades públicas determinaram o fechamento de lojas, começamos a entender que poderia ser um problema, que a gente teria que fechar, talvez, todas as lojas. Não é uma decisão fácil para um varejista", sublinhou.

Fulchenberguer retomou os passos colocados em prática pela Via Varejo. "O online representava 28% do nosso faturamento naquele momento", disse. "A gente se viu com mais de 20 mil vendedores em casa e sem poder interagir com o consumidor."

"Em quatro dias, o time montou a solução 'Me Chama No Zap'. No quinto dia, já eram mil vendedores testando. No sexto dia, a gente já estava com todo o time voltando a se relacionar com consumidores."

O diretor de Comunicação Corporativa, Diversidade, Sustentabilidade e Relações Institucionais da Via Varejo, Hélio Muniz, recebeu o troféu. "É uma honra. A gente está muito feliz. Para nós, inovação e transformação são tecnologia, mas quem faz isso e quem recebe isso são pessoas", destacou.

Saúde: Hospital Israelita Albert Einstein

Na categoria Saúde, que teve como indicados Votorantim, Vale, Hospital Israelita Albert Einstein e Instituto Emilio Ribas, o prêmio foi para o Hospital Israelita Albert Einstein. O presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, Sidney Klajner, disse que o grupo começou a se preparar já em janeiro para o caso de a pandemia chegar ao Brasil, o que ocorreu em março.

"Montou-se um grupo de especialistas, pneumologistas e infectologistas, e a parte multiprofissional do Einstein", afirmou ele. "O laboratório de biologia molecular desenvolveu in house o nosso real time PCR, que é o exame hoje padrão ouro para a detecção da Covid-19."

Klajner disse que logo no início da pandemia a instituição percebeu a importância de questões ligadas à parte social e a dificuldade do trabalho em razão da quarentena.

"A preocupação nossa com a comunidade de Paraisópolis foi no sentido de prover aos moradores alimentação adequada, cestas básicas, kits de higiene e orientações através da nossa unidade."

Agronegócio e Alimentação: JBS

CEO da JBS, Gilberto Tomazoni, durante entrega do Prêmio Notáveis CNN 2020
CEO da JBS, Gilberto Tomazoni, durante entrega do Prêmio Notáveis CNN 2020
Foto: Renato TK

Na categoria Agronegócio e Alimentação, que teve como indicados Suzano, JBS e Marfrig, o prêmio foi para a JBS. A gestora do programa "Fazer o Bem Faz Bem", Joanita Maestri Karoleski, disse que a iniciativa recebeu um investimento de R$ 400 milhões para ajudar o país no combate ao novo coronavírus.

"Isso fez com que gerasse dentro da empresa um movimento que permanece até agora, para que realmente haja essa aproximação das comunidades e isso faça parte da vida das pessoas, além da vida da empresa", declarou.

Ela contou que a companhia fez investimentos em equipamentos, cestas básicas, ciência e tecnologia e organizações sociais.

"Foram construídos dois hospitais definitivos (e não de campanha), um no Distrito Federal e um em Rondônia. Foram doados mais de 2 mil equipamentos em termos de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) e normais, 365 respiradores e mais de 500 mil cestas básicas", afirmou Karoleski. Segundo ela, o objetivo era deixar um legado para a população.

O CEO da JBS, Gilberto Tomazoni, recebeu o troféu e falou sobre a missão da empresa. "Para nós, que temos como missão produzir e levar alimentos à mesa dos nossos consumidores, parar nunca foi uma opção. Nesse processo, enfrentamos muitas dificuldades. Todas as empresas e todas as pessoas enfrentaram, mas para nós, da JBS, ficaram marcadas a criatividade e a resiliência", disse.

Educação: Ânima Educação

Vice-presidente acadêmica da Ânima Educação, Denise Campos
Vice-presidente acadêmica da Ânima Educação, Denise Campos, durante o Prêmio Notáveis CNN 2020
Foto: Renato TK

Na categoria Educação, que teve como indicados Cogna Educação, Grupo Pão de Açúcar e Ânima Educação, o prêmio foi para Ânima Educação. A vice-presidente acadêmica da instituição, Denise Campos, disse que a missão sempre foi "transformar o Brasil pela educação".

Com a suspensão das aulas presenciais nas universidades, ela contou que muitos estudantes ficaram tristes por terem que sair do local.

"Muitos alunos choraram saindo do campus. A gente percebe que o campus, no fim, era uma extensão da casa deles", declarou. "Os alunos não querendo ir embora foi uma cena muito chocante para quem trabalha com educação."

Ela afirmou que a pandemia trouxe uma ideia global de cooperação e auxílio ao próximo. "Esse movimento 'Não Demita' é parte dessa ideia, uma cooperação entre organizações, entre empresas, pensando na situação das pessoas", disse.

"A pandemia nos ensinou que a universidade hoje tem que ensinar e tratar nas salas de aula, sejam virtuais ou físicas, questões globais, que assolam a humanidade."

Campos recebeu o troféu e agradeceu pelo reconhecimento. "Em nome de todos os alunos e professores da Ânima Educação, a gente agradece profundamente. Nesse momento de pandemia que vivemos, percebemos as forças que a educação é capaz de por em movimento", afirmou.

Personalidade do Ano: Itaú

Diretor-geral de Atacado do Itaú Unibanco durante o Prêmio Notáveis CNN
Diretor-geral de Atacado do Itaú Unibanco, Caio David, durante o Prêmio Notáveis CNN
Foto: Renato TK

Na categoria Personalidade do Ano, que teve como indicados Luiza Helena Trajano, Ester Sabino, Natália Pasternak, Itaú e Eduardo Lyra, o prêmio foi para o Itaú. A superintendente de Relações Institucionais, Sustentabilidade e Empreendedorismo, Luciana Nicola, afirmou que com o aumento de casos de Covid-19 no Brasil, a instituição procurou auxiliar na área de saúde e de assistência social.

"O banco discutiu qual era o tamanho da ajuda que a gente pretendia dar e tomou a decisão de separar R$ 1 bilhão e convidar um conselho de médicos para nos orientar qual seria o melhor uso desses recursos financeiros", contou Nicola. 

Ela relatou que foram montados escritórios de crise em todos os estados para captar dados de hospitais de referência e fazer com que os recursos chegassem no momento certo aos locais necessários. A instituição ajudou com o fornecimento de materiais visuais, equipamentos de proteção individual (EPI), entre outros.

O diretor-geral de Atacado do Itaú Unibanco, Caio David, recebeu o troféu e falou sobre incentivo que é receber a homenagem.

"É com muito orgulho que a gente recebe esse prêmio e isso só nos motiva a continuar engajados em fazer a diferença dentro de uma agenda voltada para a sociedade brasileira e, obviamente, ajudarmos a construir um Brasil melhor", afirmou.

Herói ou Heroína do Ano: Enfermeira Mônica Calazans

A enfermeira intensivista Mônica Calazans, escolhida Heroína do Ano
A enfermeira intensivista Mônica Calazans, escolhida Heroína do Ano, se emocionou ao receber o troféu do Prêmio Notáveis CNN 2020
Foto: Renato TK

"Não tínhamos como não premiar enfermeiros, médicos e profissionais da saúde que estão na linha de frente do combate a essa pandemia", disse a apresentadora Carla Vilhena, antes de anunciar a principal homenageada da noite. "São heróis, muitas vezes anônimos, que hoje serão representados por uma mulher batalhadora, com uma história emocionante", completou Luciana Barreto, que apresentou o evento ao lado de Vilhena.

A escolhida para a categoria Herói ou Heroína do Ano pelo Prêmio Notáveis CNN 2020 foi a enfermeira intensivista Mônica Aparecida Calazans.

No país com o maior número de enfermeiros vítimas da Covid-19 em todo o mundo, ela falou sobre como tem enfrentado a realidade da pandemia. A equipe da premiação acompanhou Calazans antes de ela saber que receberia o troféu.

"Desde o início, eu estou na linha de frente. Eu tenho hipertensão, tenho diabetes e obesidade. Eu não sei por que eu não tenho medo. Não consigo explicar isso. É uma profissão em que você não pode ter medo", contou a enfermeira.

"Você segura a onda e tem que trabalhar. Você tem que segurar o seu psicológico. Na realidade, você não pode se abalar com tudo o que está acontecendo. Você tem que ser muito forte", diz ela, que já perdeu quatro amigos para a Covid-19.

Quando Calazans soube que seria premiada, se emocionou. "Eu não sei nem se essa palavra, heroína, cabe a mim. Falo por mim, por todos os profissionais de saúde que ainda estão na linha de frente e aqueles que não estão mais com a gente, que tentaram fazer um trabalho perfeito e foram arrebatados pela doença", disse.

"Eu me considero vencedora, porque desde o início eu estou me dando de peito aberto para cuidar das pessoas. Eu só tenho a agradecer", revelou a enfermeira.

Ao receber o troféu, Calazans dedicou a homenagem a duas colegas de trabalho e ao filho.

"Quero dedicar a duas pessoas em especial. Uma delas é minha chefe, a Marli, enfermeira do Emílio Ribas. E a outra chefe é a Elizabete, enfermeira do outro hospital em que eu trabalho. Elas foram essenciais na minha vida nesse período. São pessoas admiráveis, pessoas ímpares", contou.