PF prende desembargadoras do TJ da Bahia em ação contra venda de sentenças

Polícia Federal cumpre mandados contra suposto esquema criminoso de venda de decisões judiciais

Vianey Bentes, da CNN, em Brasília
14 de dezembro de 2020 às 07:48 | Atualizado 14 de dezembro de 2020 às 13:55


A Polícia Federal (PF) realiza uma operação, nesta segunda-feira (14), contra um possível esquema criminoso de venda de decisões judiciais e cumpre mandados de prisão temporária de duas desembargadoras do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJBA).

A decisão partiu do ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). O secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, é apontado como um dos alvos da investigação.

Assista e leia também:
Homem é multado por não usar máscara, ofende guarda e acaba preso em Goiânia
Polícia Federal abre concurso público para 1.500 vagas
PF realiza operação em 14 estados contra fraudes no Auxílio Emergencial

Secretário da Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa
Foto: Divulgação / Ascom - Governo da Bahia

A PF também cumpre mandado de prisão preventiva de um auxiliar de um juiz, além do afastamento do cargo e função de sete servidores públicos envolvidos na 6ª e 7ª fases da Operação Faroeste, que está em andamento. Também são realizados 36 mandados de busca e apreensão nas cidades de Salvador, Barreiras, Catu e Uibai, na Bahia, e em Brasília, no Distrito Federal.

Os investigados podem responder pelos crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, organização criminosa e tráfico de influência.

Na decisão que autorizou a operação, o ministro Og Fernandes destacou que “o conjunto probatório colacionado aos autos revela a suposta existência de uma engrenagem judicial criminosa no seio do Tribunal de Justiça baiano, que possui a venda de decisões como mercadoria para o enriquecimento ilícito em escala geométrica”.

(Com informações de Silvana Freire, da CNN, em Salvador)