Militar morto em acidente causado por surfista será sepultado nesta sexta no RJ

Felipe Cesarano foi indiciado pela Polícia Civil por homicídio culposo provocado por embriaguez ao volante

Thayana Araújo e Cleber Rodrigues, da CNN, no Rio de Janeiro
18 de dezembro de 2020 às 08:08
Acidente provocado por surfista embriagado provocou a morte de militar no Rio
Foto: Reprodução/CNN

O corpo do segundo sargento da Marinha Diogo Gomes da Silva será sepultado nesta sexta-feira (18), às 13 horas, no cemitério Jardim da Saudade de Paciência, na zona oeste da capital do RJ. O velório está marcado para esta manhã. Diogo foi vítima de um acidente de trânsito na última quarta-feira (16).

O carro em que ele estava foi atingido na Auto Estrada Lagoa - Barra, em São Conrado, por outro veículo, conduzido pelo surfista de ondas gigantes Felipe Cesarano, que estava embriagado. Cesarano estava sozinho dentro do carro quando perdeu o controle do veículo, subiu no separador, invadiu a pista contrária e bateu de frente com o carro do militar. O militar morreu na hora.

Leia também:
Surfista embriagado é solto após causar acidente e matar sargento no Rio
Perícia indica que surfista dirigia alcoolizado em acidente que matou militar

O surfista foi indiciado pela Polícia Civil por homicídio culposo provocado por embriaguez ao volante. O exame de alcoolemia ao qual foi submetido constatou que ele estava embriagado. Cesarano foi preso em flagrante, mas a Justiça do Rio mandou soltar um dia após o trágico acidente. O laudo afirma ainda que, durante a perícia, ele não conseguiu realizar as manobras do exame neurológico.

Na decisão, o juiz Alex Quaresma Ravache disse que não cabia a prisão preventiva por se tratar de um delito culposo, apesar de reprovar a conduta do atleta. Enquanto estiver em liberdade provisória, Cesarano fica proibido de deixar a cidade do Rio por mais de 10 dias, sem prévia autorização judicial e de frequentar bares, casas noturnas e locais onde sejam vendidas bebidas alcoólicas para consumo imediato.