Estado de SP só terá serviços essenciais durante Natal e Ano-Novo

Esquema de restrições estará vigente durante as janelas de 25, 26 e 27 de dezembro e 1, 2 e 3 de janeiro

Matheus Prado, da CNN, em São Paulo*
22 de dezembro de 2020 às 12:57 | Atualizado 25 de dezembro de 2020 às 14:54

O governo de São Paulo anunciou nesta terça-feira (22) que todo o estado terá fortes restrições durante Natal e Ano-Novo. Com isso, apenas serviços essenciais poderão funcionar durante as janelas de 25, 26 e 27 de dezembro e 1, 2 e 3 de janeiro.

A região de Presidente Prudente, excepcionalmente, voltará para a fase vermelha para controlar o avanço da doença no local, que está com 83,1% dos leitos ocupados. Além disso, o ABC Paulista, com 67%, é monitorado por conta do aumento nas infecções pelo novo coronavírus.

Leia também:
Nova cepa do coronavírus pode ser capaz de infectar crianças, dizem cientistas
São Paulo receberá mais 7,5 milhões de doses da Coronavac até o final de 2020
Sabemos mais sobre vacinas contra Covid-19 do que qualquer outra, diz médico

Em coletiva no Instituto Butantan sem a presença do governador João Doria (PSDB), a secretária de Desenvolvimento Econômico de São Paulo, Patricia Ellen, afirmou que o governo precisou tomar "esta decisão difícil" para que a situação do estado não volte a piorar.

Com isso, serviços como shoppings, bares e restaurantes, academias de ginástica e qualquer outro tipo de eventos públicos ficam proibidos em todo o estado, incluindo a capital, nos dias especificados. Estabelecimentos de hospedagem, como hotéis, poderão funcionar.

Sobre as prováveis aglomerações nas praias do litoral paulista neste final do ano, o governo afirma que a responsabilidade é das prefeituras, mas que busca conversar com as municipalidades para manter a "austeridade que o momento pede".

Também foi anunciado que as medidas podem ser estendidas regionalmente ao dia 31 de dezembro, a depender da avaliação das autoridades locais, e que o estado não voltará à fase verde em janeiro, como era esperado. A próxima classificação será feita no dia 7 de janeiro.

"A partir da próxima classificação, se tivermos que aplicar medidas mais duras, como a fase laranja e vermelha, assim será", disse Patricia.

Até segunda-feira (21), o estado registrou 45.136 óbitos e 1.388.043 casos do novo coronavírus - com 1.222.776 pessoas recuperadas. Oficialmente, as taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 66,9% na Grande São Paulo e de 61,8% no estado.

O número de pacientes internados é de 10.856, sendo 6.146 em enfermaria e 4.710 em unidades de terapia intensiva. Já no País, foram relatadas mais 549 mortes, chegando ao total de 187.322 óbitos na pandemia, conforme dados do consórcio da imprensa. A média móvel de mortes é de 769, igualando 18 de setembro.

O centro de contigência para a Covid-19 chegou a cogitar em regredir todo o estado para a fase vermelha, mas o entendimento mudou. Com isso, após o dia 3 de janeiro, grande parte de São Paulo retorna à fase amarela.

Veja as restrições da Fase Amarela

Shopping Center, galerias e estabelecimentos similares:
• Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
• Horário reduzido (10 horas)
• Praças de alimentação (ao ar livre ou em áreas arejadas)
• Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Comércio, Serviços, Salões de beleza e barbearias:
•Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local.
• Horário reduzido (10 horas).
• Adoção dos protocolos geral e setorial específico.

Consumo Local (Bares, restaurantes e similares):
• Somente ao ar livre ou em áreas arejadas
• Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local.
• Horário reduzido (10 horas).
• Consumo local até 17h.
• Consumo local até as 22h (se a região estiver a ao menos 14 dias seguidos na fase amarela).
• Adoção dos protocolos padrões e setoriais específicos.

Academias esportivas e centros de ginástica:
• Ocupação máxima limitada a 30% da capacidade do local.
• Horário reduzido (10 horas).
• Agendamento prévio com hora marcada.
• Permissão apenas de aulas e práticas individuais, mantendo-se as aulas e práticas em grupo suspensas.
• Adoção dos protocolos geral e setorial específico.

Eventos, convenções e atividades culturais:
• Permitido após a região ficar ao menos 28 dias consecutivos na fase amarela.
• Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local.
• Obrigação de controle de acesso, hora marcada e assentos marcados.
• Venda de ingressos de eventos culturais em bilheterias físicas, desde que respeitados protocolos sanitários e de distanciamento.
• Assentos e filas respeitando distanciamento mínimo.
• Proibição de atividades com público em pé.
• Adoção dos protocolos geral e setorial específico.

*Com informações do Estadão Conteúdo