Em 21 dias, Manaus tem mais enterros por Covid-19 do que todo o ano de 2020

Foram contabilizados 1.333 sepultados em janeiro deste ano, contra 1.285 realizado na cidade em 2020

Julyanne Jucá e Giovanna Bronze, da CNN, em São Paulo
22 de janeiro de 2021 às 09:42 | Atualizado 22 de janeiro de 2021 às 12:41
Enterro de vítima da Covid-19 no Cemitério Nossa Senhora Aparecida em Manaus
Enterro de vítima da Covid-19 no Cemitério Nossa Senhora Aparecida em Manaus (AM)
Foto: Edmar Barros /Futura Press/Estadão Conteúdo

O número de enterros realizados de vítimas da Covid-19 em Manaus, em janeiro deste ano, ultrapassou os dados de todo 2020 para a cidade. No ano passado, 1.285 sepultamentos pela doença foram contabilizados, contra 1.333 apenas nos primeiros 21 dias de 2021.

Somente nesta quinta-feira (21), 179 enterros foram feitos na capital manauara, sendo 89 deles por coronavírus – em cemitérios públicos e privados. Apenas uma família optou pelo serviço de cremação.

Os números foram levantados com base nos boletins divulgados pela prefeitura de Manaus.

O ano de 2021 ainda traz outro recorde em relação aos enterros na capital do Amazonas. O total realizado no mês de janeiro para todas as declarações (todos os tipos de morte, incluindo coronavírus), foi de 2.964 – o maior número de sepultamentos realizados em um único mês desde o início da pandemia. Em 2020, o mês com o maior registro de enterros em Manaus foi abril, com 2.433.

No ano passado, maio foi o mês que registrou mais sepultamentos pela doença, com 348. Em uma comparação com os números deste ano, janeiro de 2021 traz 283% a mais de registros de enterros.

O Amazonas registra ainda, até esta quinta-feira, 6.757 mortes pela Covid-19. Somente em Manaus, o número é de 4.502, o que corresponde a mais de 66% de todo o território do estado.

Nota

A prefeitura de Manaus enviou uma nota à CNN sobre a contagem de causa/morte no serviço funerário. A Prefeitura de Manaus informa que os dados do Informe Funerário são os que constam nas certidões e registros de óbito, por isso os casos em que a morte por Covid-19 é confirmada somente após investigação posterior ao óbito não entram nas estatísticas do Informe Funerário da Prefeitura de Manaus.