Justiça afasta secretário da Saúde que vacinou a própria esposa em Goiás

Ministério Público Estadual denunciou Assis Silva Filho por furar a fila da vacinação contra a Covid-19

Isabela Sander, colaboração para a CNN
23 de janeiro de 2021 às 18:56
O secretário da Saúde de Pires do Rio, Assis Silva Filho e sua esposa
O secretário da Saúde de Pires do Rio, Assis Silva Filho e sua esposa
Foto: Divulgação

A Justiça de Goiás acolheu medida cautelar criminal proposta pelo Ministério Público do estado (MP-GO) e determinou o afastamento de Assis Silva Filho do cargo de secretário da Saúde de Pires do Rio, município goiano, por 60 dias.

Neste período, será investigada a acusação de que o gestor quebrou a ordem da vacinação contra a Covid-19 para beneficiar a própria esposa, que não se encaixa no grupo prioritário para a imunização.

Segundo a acusação do MP-GO, a prefeitura de Pires do Rio havia estabelecido que seriam vacinados, inicialmente, apenas profissionais da saúde, pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência, pessoas a partir de 18 anos com deficiência, moradores em residências inclusivas e a população indígena.

Contudo, conforme o promotor de Justiça Marcelo Borges Amaral, autor da medida cautelar, o secretário determinou a vacinação de sua esposa e justificou o ato nas redes sociais dizendo que o fez para “preservar a vida e a saúde da mulher da minha vida”.

De acordo com o promotor de Justiça, o ato constitui crimes de abuso de autoridade e prevaricação, uma vez que o secretário confessou que se utilizou do cargo movido por sentimentos pessoais. As investigações prosseguem durante o afastamento do Assis Silva Filho. Também foi instaurado procedimento para apurar possível prática de ato de improbidade administrativa.

Silva Filho fez uma live no Facebook na sexta-feira (22) falando sobre o caso. Nela, o secretário municipal, que também é pastor da Igreja Vitória em Cristo, diz que cometeu o crime porque sua esposa o acompanha em todas as unidades de saúde e “praticamente se tornou uma voluntária na prestação de auxílio” junto a ele.

Destaca, ainda, que ela tem mais de 70 anos. No vídeo, o gestor pede desculpas. “Apóstolos também erraram e eu também cometi, por um vacilo e um descuido, um erro”, pontuou, afirmando que seu intuito era “resguardar e preservar a saúde e a vida da mulher da minha vida”

Até o momento, a prefeitura de Pires do Rio não se pronunciou sobre o assunto. Na quinta-feira (21), a Câmara de Vereadores do município enviou ofício ao secretário solicitando o número de vacinas disponibilizadas para a cidade e o nome de todos que já foram vacinados. Pires do Rio fica a 148 quilômetros de Goiânia e possui uma população de 31.686 habitantes, segundo Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2020.