Governo prepara proposta do novo auxílio emergencial e mais de 11 de fevereiro

Assista ao 5 Fatos Manhã apresentado pela âncora da CNN Muriel Porfiro

Da CNN, em São Paulo
11 de fevereiro de 2021 às 06:51 | Atualizado 11 de fevereiro de 2021 às 07:20

 A luta contra a Covid-19 completa um ano, a movimentação no PSDB e a preparação da proposta do novo auxílio emergencial são alguns dos destaques da manhã desta quinta-feira, 11 de fevereiro de 2021.

Auxílio emergencial

A proposta do novo auxílio emergencial deve ser anunciada nos próximos dias. O caminho em análise dentro do governo e do Congresso é criar uma exceção ao teto de gastos, que é a regra que limita o crescimento dos gastos públicos. Isso para permitir novas parcelas do auxílio.

Banco Central

A Câmara dos Deputados aprovou o texto principal do projeto de lei que prevê a autonomia do Banco Central. Agora o texto vai para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

PSDB

Numa reação ao movimento do governador de São Paulo, João Doria, para assumir o comando do PSDB a partir de maio, o partido convocou a executiva nacional para prorrogar por mais um ano o mandato do deputado Bruno Araújo à frente da sigla. Na avaliação de parte da ala tucana, o movimento de Doria acabou inclusive lançando o nome do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, para a disputa presidencial de 2022. Procurado pela CNN, Doria afirmou que a "medida está na normalidade da conduta partidária e vale para todos”.

Covid-19

Há exatamente um ano a Organização Mundial da Saúde deu o nome à doença Covid-19. Naquela época o mundo tinha 43 mil infectados e mil mortos. Hoje, o vírus já contaminou mais de 107 milhões de pessoas, matou mais de dois milhões, e deixa um impacto econômico e social em todo o mundo. E mais, em menos de um ano, cientistas conseguiram um feito impressionante: desenvolveram vacinas capazes de prevenir ou ao menos deixar os sintomas da doença mais leves.

Seus direitos

Quais são os direitos e deveres das empresas e de funcionários durante a pandemia? Não usar máscara e se recusar a tomar vacina podem render demissão por justa causa? Aqui tem a resposta para esses questionamentos.

Newsletter

Para receber as principais notícias todos os dias no seu e-mail, cadastre-se na nossa newsletter 5 Fatos em newsletter.cnnbrasil.com.br

(Publicado por: André Rigue)