RJ reconhece 'instabilidade' e 'atrasos' em plano de imunização contra Covid-19

Nota técnica da Secretaria da Saúde e do Conselho de Secretarias Municipais foi obtida com exclusividade pela CNN

Thayana Araujo e Lucas Janone, da CNN no Rio de Janeiro 
15 de fevereiro de 2021 às 12:08
Vacinação no sistema drive-thru para idosos no Rio de Janeiro
Vacinação no sistema drive-thru para idosos no Rio de Janeiro
Foto: Isabelle Saleme/CNN Brasil

 

Uma nota técnica conjunta da Secretaria estadual de Saúde do Rio de Janeiro (SES-RJ) e do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado do RJ indicou que o Plano Nacional de Imunização contra o novo coronavírus se mostra instável desde o início da campanha, em todo território fluminense. O documento foi obtido com exclusividade pela CNN.

“Embora o Plano Nacional de Imunização tenha criado um sistema de registro específico para as vacinas contra Covid-19 aplicadas, o mesmo vem apresentado instabilidade desde o início da campanha, gerando atraso no lançamento das doses aplicadas”, destaca a nota técnica do governo. 

O documento tem como objetivo apresentar recomendações sobre a campanha de vacinação contra Covid-19 no estado. De acordo com o secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves, uma das medidas é evitar distorções sobre a ordem de prioridade dos grupos imunizados. 

 

O desequilíbrio no plano de imunização aconteceu após cidades do estado do RJ desrespeitarem os grupos prioritários de vacinação. Em município da Região Metropolitana, profissionais de saúde de qualquer idade estavam liberados para se vacinar, não havendo prioridade para quem atua na linha de frente contra a pandemia do novo coronavírus. Em outro, a prefeitura da cidade permitiu a imunização de professores da rede pública do município.

A nota técnica elaborada pela Saúde busca organizar as ações e estratégias de imunização do governo estadual, com abordagem desde as fases preliminares do plano até o pós-campanha. Cerca de 340 pessoas dos 92 municípios do estado, incluindo secretários de saúde municipais contribuíram para apuração de informações que embasaram o documento. 

A secretaria adotou uma estratégia de coleta diária de doses aplicadas para garantir rapidez e transparência nas informações sobre a imunização contra a Covid-19. As recomendações presentes na nota técnica têm o intuito de manter a campanha ativa e tornar mais ágil a distribuição de doses aos municípios.

O Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde foi criado com os objetivos de padronizar a vacinação em todos os estados do país. A pasta estabeleceu um cronograma de vacinação. Os profissionais da Saúde, indígenas e pessoas com 60 anos ou mais seriam os primeiros a serem imunizados.