Coordenador do Centro de Contingência diz que SP estuda novas restrições

Paulo Menezes afirmou à CNN que indicadores da fase emergencial no estado ainda são avaliados

Produzido por Fernanda Pinotti e Juliana Alves, da CNN, em São Paulo
17 de março de 2021 às 15:55 | Atualizado 17 de março de 2021 às 15:56

O coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 em São Paulo, Paulo Menezes, afirmou nesta quarta-feira (17), em entrevista à CNN, que o governo do estado estuda novas medidas de restrição caso as ações da fase emergencial não reduzam os índices da pandemia.

Na manhã desta quarta-feira (17), o governador João Doria (PSDB) sugeriu que novas medidas restritivas poderiam ser adotadas em todo o território paulista, mas, durante coletiva no início da tarde, ele não anunciou mudanças no Plano São Paulo.

"Existe, sim, a possibilidade de novas medidas de restrição. Estamos avaliando os indicadores de respostas às medidas já adotadas e também estudando quais seriam as novas medidas que poderiam, de fato, contribuir para o aumento do isolamento social e a redução da transmissão do vírus", disse Menezes.

Segundo o coordenador, o comitê pensa em novas restrições para diferentes setores econômicos, como, por exemplo, a construção civil. "Mas estamos avaliando qual seria o impacto disso no isolamento social e também no impacto econômico", completou.

Movimento intenso de passageiros no metrô de SP no primeiro dia da fase emergencial no estado
Foto: Bruno Rocha - 15.mar.2021/Enquadrar/Estadão Conteúdo

Menezes negou conflitos entre o comitê e o governo para a aplicação de medidas mais rígidas para conter a pandemia no estado. Ele também afirmou que ainda é cedo para "vermos resultados diretos da fase emergencial", que vigora desde o último dia 15.

"Esperamos chegar próximo de 50% de isolamento social, porque isso indica que há menor circulação de pessoas e, portanto, a transmissão do vírus começa a cair. Ontem, tivemos 44% de índice do isolamento social no estado. Precisamos acompanhar os próximos dias."