Polícia Civil encerra festa clandestina com 600 pessoas em Osasco

Em outra ação do Comitê Blitze, os agentes flagraram uma aglomeração de 100 pessoas em tabacaria na zona sul da capital

Giovanna Bronze e Rafaela Lara, da CNN, em São Paulo
09 de maio de 2021 às 15:38 | Atualizado 09 de maio de 2021 às 18:35

Uma festa clandestina foi encerrada pela Polícia Civil na madrugada deste domingo (9). A festa reuniu 600 pessoas em Osasco, na região da Grande São Paulo. Segundo a Vigilância Sanitária, 400 pessoas que estavam no local não usavam máscaras.

Além da falta de distanciamento, os participantes ingeriam bebidas alcoólicas e compartilhavam narguilé. O local foi interditado por descumprir o Plano São Paulo e promover evento com aglomeração.

O responsável pela organização do evento e três funcionários foram detidos pela Polícia Civil.

Na ação, a força-tarefa de fiscalização também apreendeu equipamentos de som e uma máquina de cartão. Os responsáveis foram autuados por infração de medida sanitária preventiva e encaminhados ao 10º DP de Osasco.

São Paulo: Força-tarefa encerra festa clandestina com mais de 600 pessoas
São Paulo: Força-tarefa encerra festa clandestina com mais de 600 pessoas na madrugada deste domingo (9)
Foto: Secretaria de Comunicação/Governo de São Paulo

Polícia Civil interrompe festa em tabacaria na zona sul 

Na mesma madrugada, a Polícia Civil flagrou 100 pessoas dentro de uma tabacaria, no Jardim São Luís, na zona sul da capital. Cinquenta policiais do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope) participaram da ação. O caso foi registrado por infração de medida sanitária preventiva no Departamento de Polícia e Proteção à Cidadania (DPPC).

Além dessas ações, 12 estabelecimentos foram inspecionados e orientados.  Entre os locais autuados, estão dois estabelecimentos localizados na Vila Madalena e no Tatuapé, em São Paulo. 

O Comitê, criado para monitorar o cumprimento das medidas restritivas do Plano São Paulo, é formado por agentes da Guarda Civil Metropolitana e da Covisa (Coordenadoria da Vigilância Sanitária) pela Prefeitura de São Paulo. Pelo governo do estado, atuam profissionais da Vigilância Sanitária, Procon e das polícias Civil e Militar.

Neste sábado (8), o estado de São Paulo ultrapassou a marca de 100 mil mortes por Covid-19.