Rio prorroga medidas restritivas até dia 31; festas e boates seguem proibidas

Informações foram publicadas no Diário Oficial do município nesta quinta-feira (20)

Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro
20 de maio de 2021 às 09:35 | Atualizado 20 de maio de 2021 às 10:57
Banhistas no Rio de Janeiro (25 de abril 21)
Banhistas no Rio de Janeiro (25 de abril 21)
Foto: Reprodução / CNN

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, manteve até o dia 31 de maio parte das medidas restritivas em vigor na cidade para evitar a propagação do novo coronavírus. O funcionamento de boates e a realização de eventos em áreas públicas e particulares seguem proibidos. A prorrogação das restrições foram publicadas no Diário Oficial do Município desta quinta-feira (20). 

Boates, danceterias, salões de dança, festas e rodas de samba são as atividades que continuam proibidas na cidade do Rio. A entrada de ônibus fretados na cidade (exceto os que prestarem serviço para hotéis) também segue vetada. 

Na última sexta-feira (14), Eduardo Paes disse que a realização de eventos deveria ser liberada esta semana na capital. Porém o decreto mantém a proibição das atividades até, pelo menos, o fim do mês. 

“Nós devemos publicar um decreto em que nós estabelecemos a possibilidade da volta de realização de eventos com uma série de protocolos. Por exemplo, isso já está sendo feito em alguns países do mundo, você vai poder realizar evento desde que as pessoas todas sejam testadas, nesse teste mais rápido, no dia da realização do evento”, afirmou o prefeito na semana passada. 

Já o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, disse que a liberação de eventos “não é para agora”. A declaração foi feita à CNN na última segunda-feira (17). De acordo com o titular da pasta, a partir da publicação do decreto, seriam necessários pelo menos 45 dias para autorização. 

Última flexibilização no Rio liberou praias

A presença de pessoas nas áreas das praias no Rio aos fins de semana e feriados foi a última medida de flexibilização determinada por Eduardo Paes, no último dia 7. 

O decreto também ampliou a atuação de bares, lanchonetes, restaurantes e quiosques da orla, que não têm mais limitação de horário para fechar. Música ao vivo, porém, só está permitida até as 23h.