Macacos mudam 'sotaque' quando estão sob pressão social e ambiental, diz estudo

Os micos estudados vivem na floresta amazônica do Brasil; segundo os pesquisadores, os animais alteram suas vocalizações em territórios compartilhados

Zamira Rahim, CNN
28 de maio de 2021 às 08:14
Os micos-leões estão em perigo de extinção
Os micos-leões estão em perigo de extinção
Foto: Taynara Sobroza

Se você já mudou seu comportamento devido à pressão social, parece que você não está sozinho. Macacos que entram no território de uma espécie diferente adaptam seus chamados de primatas para ajudá-los a se entenderem melhor, de acordo com pesquisas recentes.

O estudo, publicado na revista científica Behavioral Ecology and Sociobiology, examinou o comportamento de 15 grupos de micos-malhados e micos-roxos que vivem na floresta amazônica do Brasil.

Os animais estudados têm "maior flexibilidade vocal" e usam seus chamados com mais frequência do que os micos-leões, segundo nota da Anglia Ruskin University (ARU), envolvida na pesquisa.
Os micos-leões usam uma chamada longa para se comunicar, ao contrário do outro grupo.

No entanto, os cientistas descobriram que, quando esses primatas entraram no território compartilhado com os micos-leões, eles também adotam o chamado longo.

"Descobrimos que apenas os micos-vermelhos mudam seus vocais para os dos micos-malhados, e isso só acontece em lugares onde eles ocorrem juntos", disse a autora principal do estudo, Tainara Sobroza, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia do Brasil, nesta quarta-feira (26).

"Por que suas chamadas convergem dessa forma não é certo, mas é possivelmente para ajudar na identificação ao defender território ou competir por recursos."

"Em alguns casos, ao invés de divergir para se tornarem mais diferentes umas das outras, algumas espécies estreitamente relacionadas convergem para mostrar características semelhantes", disse Jacob Dunn, professor associado de biologia evolutiva da ARU.

Dunn disse que o estudo é o primeiro do tipo, com o chamado de uma espécie se tornando a linguagem comum em territórios compartilhados.

“Como essas espécies de micos contam com recursos semelhantes, mudar seus 'sotaques' dessa forma provavelmente ajudará esses pequenos primatas a se identificarem mais facilmente na floresta densa e, potencialmente, evitar conflitos”, acrescentou.

"Nossos resultados sugerem que as pressões sociais e ambientais são importantes para moldar as chamadas dos primatas", escreveu o grupo de pesquisadores.

Segundo os pesquisadores, os micos-leões adaptam seus chamados
Foto: Viviane Costa

O estudo vem semanas depois que outra pesquisa intrigante surgiu sobre como os macacos se comunicam. Em fevereiro, um estudo sugeriu que os saguis podem entender conversas entre outros macacos e julgar se desejam interagir com eles.

Os micos-leões são mamíferos criticamente ameaçados de extinção e são encontrados principalmente na cidade de Manaus, no Amazonas. Já os micos-roxos são encontrados na região nordeste da Amazônia.

(Esse texto é uma tradução. Para ler o original, em inglês, clique aqui)