Ministério da Saúde promete reabrir leitos do Hospital de Bonsucesso, no Rio

Unidade federal do RJ pegou fogo em 27 de outubro provocando a morte de mais de dez pacientes 

Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro 
21 de julho de 2021 às 10:24
Incêndio no Hospital de Bonsucesso, no Rio de Janeiro
Incêndio no Hospital de Bonsucesso, no Rio de Janeiro
Foto: Reprodução/Twitter @OperacoesRio (27.out.2020)

O Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, prometeu reativar pelo menos 40 leitos do Hospital Geral de Bonsucesso, unidade federal do Rio de Janeiro que pegou fogo em 27 de outubro provocando a morte de mais de dez pacientes. Antes do incêndio, o hospital federal chegou a ser anunciado como unidade de referência no tratamento de pacientes com Covid-19 na capital fluminense.  

Atualmente, o hospital de Bonsucesso tem 273 leitos impedidos por problemas estruturais, o que representa 73% de todas as vagas da unidade. Somente 99 estão em funcionamento. Os dados foram obtidos pela CNN por meio do Censo Hospitalar Público da prefeitura do Rio de Janeiro.  

A promessa de reabertura de leitos anunciada por Queiroga aconteceu, após reivindicações feitas por membros do Sindicato dos Enfermeiros do RJ (Sindenfrj) durante uma agenda oficial em Brasília na noite desta segunda-feira (19).  No entanto, o Ministério da Saúde ainda não estipulou um prazo para a reabertura.  

Diretor do Sindicato dos Enfermeiros e profissional do Hospital de Bonsucesso, Marco Schiavo, disse à CNN que a ativação dos 40 leitos desabilitados é fundamental para o pleno funcionamento da unidade federal. De acordo com ele, o aumento da capacidade de receber pacientes vai beneficiar todos os tipos de pacientes.  

 “Metade dos leitos previstos para reabrir ficam na Sala Verde, destinado para pacientes com todos os quadros clínicos. Outros dez leitos são de Terapia Intensiva (CTI), alas que não temos no hospital desde o incêndio. Com a reabertura dos leitos, também podemos ter mais quatro vagas para suporte avançado, caso alguém de dentro da unidade tenha um mal súbito, e as outras seis são especializadas para pacientes com Covid-19", disse Marco Schiavo.    

Um incêndio de grandes proporções atingiu o Prédio 1 do Hospital Federal de Bonsucesso em outubro do ano passado. Ao todo, dez pessoas morreram e duzentas precisaram ser transferidas para outras alas da unidade. Pacientes foram ouvidos na época pela Polícia Federal sobre as possíveis causas do acidente.   

Procurada para falar sobre prazos, o Ministério da Saúde ainda não retornou os questionamentos da CNN Brasil.