A 17 dias do Enem, servidores lançam manifesto questionando presidente do Inep

No texto, Associação dos Servidores do Inep (Assinep) afirma que a situação coloca em risco, além do Enem, também o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade)

Manifestação ocorre menos de um mês antes da realização da prova
Manifestação ocorre menos de um mês antes da realização da prova Foto: Reprodução/Agência Brasil

Basília Rodrigues

Ouvir notícia

A menos de um mês do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), servidores do Inep lançaram um manifesto em que questionam a permanência do presidente da instituição, Danilo Dupas, no cargo e denunciam episódios de intimidação, assédio e má gestão.

No texto, divulgado nesta quinta-feira (4), a Associação dos Servidores do Inep (Assinep) afirma que a situação coloca em risco, além do Enem, também o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), que apresentou vazamento de dados de inscritos neste ano, o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e os Censos da Educação Básica e da Educação Superior, “em razão das decisões estratégicas”.

De acordo com os servidores, Dupas estaria se recusando a liderar as equipes de resolução de crises do Enade e do Enem, que está marcado para 21 e 28 de novembro.

Áreas sem chefia

Áreas sensíveis do instituto estão sem chefia, como o departamento de Tecnologia da Informação, que perdeu o comando há algumas semanas. O mesmo ocorreu há quase dois meses com o cargo de diretor da área de Tecnologia e Disseminação de Informações Educacionais (DTDIE) — que continua vago.

“O medo é a tônica. Trabalhadores e chefias estão adoecendo mentalmente, em virtude da sobrecarga de trabalho e do clima desfavorável à realização segura das atividades altamente complexas do Inep”, afirma a Associação dos Servidores do Inep.

Um dos pontos de discórdia é a gestão da recém-criada Assessoria de Governança e Gestão Estratégica (AGGE), que tem concentrado atribuições de assuntos de cunho parlamentar à promoção de funcionários, o que estaria pressionando servidores. Também lá, servidores afirmam que o governo tem decretado sigilo de documentos, por meio do Sistema Eletrônico de Informações (SEI).

Vetos

Na semana passada, Dupas vetou a publicação de um conjunto de 24 estudos sobre a educação superior brasileira. Em maio de 2021, ele também vetou a divulgação de uma pesquisa do Inep sobre os avanços da política nacional de alfabetização da gestão Dilma Rousseff (PT).

“Questionamo-nos, inclusive, se Danilo Dupas quer mesmo permanecer como presidente do Inep, já que todas as suas ações demonstram que, na verdade, sua prioridade é resguardar o seu ‘CPF’”, afirmam os servidores no manifesto.

Procurados, o Inep e o presidente Danilo Dupas, não se manifestaram.

Mais Recentes da CNN