A menos que surja nova variante, Carnaval será em abril, diz presidente do Cosems Rio

O presidente do Cosems do Rio afirma que a variante Ômicron não preocupará mais em abril

Acervo Liesa

Lucas Janoneda CNN

No Rio

Ouvir notícia

O presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Rio de Janeiro (Cosems), Rodrigo Oliveira, afirmou à CNN neste sábado (22) que somente uma nova variante da Covid-19 seria responsável por um segundo adiamento do Carnaval na capital fluminense. Anteriormente marcado para final de fevereiro, os desfiles estão previstos para acontecer em abril, como anunciou o prefeito do município, Eduardo Paes.

Em conversa com a CNN, o presidente do Cosems afirma que a variante Ômicron não preocupará mais em abril. Como argumento, Rodrigo Oliveira cita o cenário epidemiológico na Europa, onde os números de casos começaram a cair de forma lenta nos últimos dias. Ele espera uma drástica redução de casos da Ômicron em até três semanas.

“Ao menos que surja uma nova variante, o Carnaval vai acontecer em abril. Estamos conversando com o município do Rio desde que a Ômicron começou. A decisão de adiar o carnaval foi acertada, a prefeitura está conduzindo com cautela toda a situação. Ômicron não vai ter em abril mais, ela transmite muito rápido, mas sofrerá uma drástica queda nas próximas semanas. Sendo otimista, em três semanas o cenário vai ser bem melhor. Sempre analisamos como exemplo o cenário europeu”, ressaltou Rodrigo Oliveira.

Ainda em conversa com a CNN, o presidente do Cosems destacou a importância do adiamento da festa para abril, apesar da baixa taxa de mortalidade causada pela Ômicron. E, por fim, acrescentou que “não podemos naturalizar mortes”.

“Carnaval sendo feito em abril, nós temos um tempo suficiente para as escolas de samba se planejarem e todo mundo que vive da festa se planejar também. A ideia é não prejudicar ninguém. Atualmente, de fato, não é o momento para o carnaval, embora o número de casos graves seja muito baixo”, finalizou.

Mais Recentes da CNN