Amazônia: ex-ministros do Meio Ambiente pedem ajuda à Alemanha, França e Noruega

O documento é assinado por Izabella Teixeira, Marina Silva, Carlos Minc, Edson Duarte, José Sarney Filho, José Goldemberg, Rubens Ricupero, Gustavo Krause

André Borges, Estadão Conteúdo

Ouvir notícia
Fumaça de incêndio na floresta amazônica perto de Humaitá, no Amazonas
Fumaça de incêndio na floresta amazônica perto de Humaitá, no Amazonas
Foto: Ueslei Marcelino/Reuters (26.ago.2020)

Uma carta assinada por nove ex-ministros do meio ambiente foi enviada ao presidente da França, Emmanuel Macron, e às primeiras-ministras da Alemanha, Angela Merkel, e da Noruega, Erna Solberg, para pedir apoio em ações de proteção à Amazônia.

O documento é assinado por Izabella Teixeira, Marina Silva, Carlos Minc, Edson Duarte, José Sarney Filho, José Goldemberg, Rubens Ricupero, Gustavo Krause e José Carlos Carvalho.

Na carta, os ex-ministros relatam que “a Amazônia brasileira está sendo devastada neste momento por dupla calamidade pública, ambiental e de saúde, que necessita da urgente solidariedade e colaboração de países amigos interessados de forma genuína e desinteressada na solução dos problemas amazônicos”.

Os ex-ministros afirmam que, em 2020, a região sofreu aumento sem precedentes do desmatamento e das queimadas florestais, que atingiram cifras não registradas há uma década.

“Incêndios criminosos, em larga escala, durante o período de estiagem, agravaram enormemente os problemas respiratórios causados pela pandemia da covid-19, contribuindo para a elevada taxa de óbitos na Amazônia”, informa o documento, lembrando que um “colapso do sistema hospitalar que se iniciou por Manaus, capital do Estado do Amazonas” e que este já se propaga rapidamente pelo interior do Estado e ameaça os demais estados amazônicos.

“Conhecendo de perto a realidade amazônica, os signatários desta carta, ex-ministros do Meio Ambiente do Brasil, sabem por experiência que nem o governo federal nem os governos locais possuem todos os meios indispensáveis para socorrer as populações mais frágeis e vulneráveis da região”, afirmam os ex-ministros.

No alerta, pedem imediata ajuda a essas populações, sob a forma de doação de materiais, equipamentos e medicamentos vitais para assegurar a sobrevivência deles, como, por exemplo: cilindros de oxigênio, concentrador de oxigênio, usinas de produção de oxigênio medicinal, equipamentos para a instalação de unidades de terapia intensiva, macas, oxímetros, e remédios usados no tratamento hospital da Covid-19, entre outros.

“Um gesto efetivo de solidariedade nesta hora dramática jamais será esquecido pelos brasileiros de todas as regiões e se constituirá em mais uma demonstração do compromisso de sua nação com a proteção da floresta amazônica e com o bem-estar de seus habitantes”, afirmam os ex-titulares da pasta hoje ocupada por Ricardo Salles.

Mais Recentes da CNN