Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Anitta cobra Lula sobre casal brasileiro preso na Turquia após malas trocadas

    Brasileiros fora presos injustamente, segundo a Polícia Federal

    Elijonas Maiada CNN Brasília

    A cantora pop Anitta pediu que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) interceda no caso dos líbios-brasileiros Ahmed Hasan e Malak Hasan. O casal foi preso na Turquia por suposto envolvimento tráfico internacional de drogas. A Polícia Federal, no entanto, já concluiu que os dois foram presos injustamente.

    O julgamento será na quinta-feira (7). A manifestação de Anitta faz parte da estratégia da defesa. Advogados têm buscado a ajuda de pessoas famosas para pedir apoio ao governo.

    “A fim de cessar essa injustiça e evitar que eles sejam condenados por um crime que não cometeram”, diz a advogada Luna Provázio.

    Neste domingo (3), Anitta postou um vídeo em sua rede social com 65 milhões de seguidores e marcou Lula para que ele ou algum ministro de Estado intervenha na situação.

    “A última esperança deles é que o presidente saiba do caso, veja o caso, tente se comunicar com alguém do país para explicar que isso é uma máfia que ainda não foi pega no Brasil”

    Em 30 de outubro do ano passado, a CNN mostrou que a Polícia Federal do Brasil concluiu pela inocência do casal, que teve as etiquetas das malas trocadas por bagagens com drogas após embarque no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo.

    A PF identificou um grupo que trocava etiquetas de malas no aeroporto de São Paulo. Um outro casal foi vítima, mas com a conclusão da PF, o governo da Alemanha deu liberdade após um mês de prisão.

    A investigação, porém, não foi o suficiente para as autoridades turcas, que mantêm o casal preso em presídios federais.

    A defesa também pede a punição da companhia Turkish Airlines, que transportou as duas bagagens de cocaína.

    “Transportaram com a etiqueta que os criminosos trocaram em nome da Malak, em um voo de SP para Istambul em que a Malak e o Ahmed sequer estavam a bordo. Eles viajaram no dia 22 de outubro de 2022 com as crianças de SP para Istambul. Mas a quadrilha só usou as etiquetas dela para enviar drogas para a Turquia num voo do dia 26 de outubro de 2022. Quatro dias depois do voo deles. E pelo Código Brasileiro Aeronáutico nenhuma empresa aérea pode transportar bagagem de passageiro que não esteja a bordo do avião. Se a Turkish Airlines tivesse sido diligente e tivesse cumprido a lei, as malas com cocaína sequer teriam saído do Brasil”, conclui a advogada.

    Entenda o caso

    Hasan e a família embarcaram em São Paulo no dia 22 de outubro de 2022 para Istambul, na Turquia. Depois, seguiram normalmente para a Líbia, onde moram. Já em maio do ano passado, ao retornar sozinho à Turquia, Hasan foi preso acusado de tráfico.

    A mulher de Hasan saiu da Líbia para a Turquia para participar de uma audiência sobre o caso e foi presa. Ela também foi levada para um presídio, porque o Ministério Público local disse haver risco de fuga.

    A defesa do casal disse que ela foi presa mesmo tendo ido espontaneamente de um país a outro. A advogada da família também diz que eles estão sem acesso a remédios e sem visita de familiares, “pois na Turquia apenas turcos podem visitar presídios”.

    A CNN procurou a Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto e a Turkish Airlines e aguarda retorno.