Avanço da COVID-19, queda na bolsa e mais notícias de 1º de abril de 2020

Os destaques do 5 Fatos Tarde, apresentado por Luciana Barreto

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A rápida alta do número de casos de coronavírus pelo mundo, o novo recorde de mortes na Espanha e a espera pela sanção presidencial do ‘coronavoucher’ estão entre os destaques do 5 Fatos Tarde, apresentado por Luciana Barreto, desta quarta-feira, 1º de abril de 2020.

Coronavírus na Europa 

O mundo se aproxima da marca de um milhão de infectados. Os dados da Universidade Johns Hopkins registram que 860 mil pessoas já testaram positivo para COVID-19. São mais de 40 mil mortos. Na Europa, a Espanha tem um novo recorde de mortos em um único dia por causa do novo coronavírus: foram 864 óbitos. Já são 102 mil infectados no país.

COVID-19 nos EUA

Nos Estados Unidos, país com maior número de casos, a casa branca projeta entre 100 e 240 mil mortes. O presidente Donald Trump, que inicialmente minimizou a gravidade da pandemia, anuncia que os americanos vão “passar por duas semanas muito difíceis” e que “será doloroso”. O país tem mais de 186 mil infectados e teve recorde de mortes ontem, chegando a marca de quase quatro mil no total.

E no Brasil…

No país, o número de infectados se aproxima de seis mil e são mais de 200 mortos. Os últimos detalhes de como viabilizar o pagamento do auxílio financeiro de R$ 600 para os mais pobres, o chamado  ‘coronavoucher’, domina a pauta do dia. O projeto passou no Congresso Nacional e aguarda a sanção do presidente Jair Bolsonaro.

Queda na Bolsa

Na economia, o balanço do mês de março foi dramático. A Bolsa de Valores de São Paulo acumulou perda de quase 30% e teve o pior desempenho desde agosto de 1998. O dólar fechou o mês de março a R$ 5,19, o segundo maior valor da história.

Ajuda na pandemia

As boas notícias vêm do aumento da solidariedade. Em São Paulo, pelo menos 500 chineses que moramno estado se mobilizaram para arrecadar fundos e ajudar no combate ao novo coronavírus. Eles conseguiram arrecadar R$ 160 mil em produtos como álcool gel e máscaras para os profissionais de saúde que trabalham no Hospital das Clínicas.

Mais Recentes da CNN