Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Chuvas no RS: número de municípios afetados sobe para 147

    Tempestades no estado deixaram ao menos 13 pessoas mortas, 12 feridas e 21 desaparecidos

    Rio Grande do Sul foi afetado por temporais que deixaram mortos e feridos
    Rio Grande do Sul foi afetado por temporais que deixaram mortos e feridos Mauricio Tonetto/SECOM

    Da CNN

    Balanço divulgado pela Defesa Civil do Rio Grande do Sul no início da tarde desta quinta-feira (2) revela que o número de municípios afetados pelas fortes chuvas que castigam o estado desde o início da semana subiu para 147. No relatório anterior, eram 139 cidades.

    As tempestades no estado deixaram 13 pessoas mortas, além de 12 feridos e 21 desaparecidos.

    Ao todo, 67.860 pessoas foram afetadas pelas tempestades. Cerca de 9.993 estão desalojadas e 4.599 foram para abrigos.

    Veja onde ocorreram as mortes:

    • Santa Maria (2)
    • Salvador do Sul (2)
    • Paverama (2)
    • Encantado (1)
    • Itaara (1)
    • Pântano Grande (1)
    • Santa Cruz do Sul (1)
    • São João do Polêsine (1)
    • Segredo (1)
    • Silveira Martins (1)*

    * No boletim anterior, divulgado às 9h, uma morte foi registrada como tendo ocorrido em Santa Maria, mas, na verdade, ocorreu em Silveira Martins.

    Entre os 21 desaparecimentos, oito foram em Candelária, seis em Encantado, quatro em Roca Sales, dois em São Vendelino e um em Passa Sete.

    Até as 9h da manhã de hoje, a cidade de Soledade (RS) havia registrado um volume acumulado de 246,2 milímetros de chuva em 24 horas. Os outros municípios que registraram os maiores acumulados foram Ibirubá (192,6 mm), Bento Gonçalves (184 mm), Serafina Corrêa (175,4 mm), Santa Rosa (171,6 mm) e Cruz Alta (153,2 mm). Os dados são do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

    O Inmet emitiu nesta quinta mais um alerta de grande perigo para acumulados de chuva para a região metropolitana de Porto Alegre, além do noroeste e nordeste do Rio Grande do Sul e grande parte de Santa Catarina. Segundo o órgão, há “grande risco de grandes alagamentos e transbordamentos de rios, grandes deslizamentos de encostas”.

    (Publicado por Fábio Munhoz)