Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Banho de cachoeira é registrado como patrimônio cultural em Bueno Brandão (MG)

    O banho de cachoeira foi incluído no Livro dos Saberes do município por evocar "práticas milenares"

    Os banhos de cachoeira em Bueno Brandão são apontados pelas autoridades culturais da cidade como um ritual milenar
    Os banhos de cachoeira em Bueno Brandão são apontados pelas autoridades culturais da cidade como um ritual milenar Prefeitura de Bueno Brandão

    Raphael Coraccinida CNN

    Em São Paulo

    Ouvir notícia

    A Prefeitura de Bueno Brandão, no interior de Minas Gerais, decidiu incluir na última semana o banho de cachoeira, um ritual famoso e histórico da região, como patrimônio cultural imaterial da cidade.

    A decisão foi tomada pelo Departamento de Cultura e pelo Conselho do Patrimônio da cidade depois de concluído um dossiê sobre a importância do banho de cachoeira para a cultura da região.

    O Banho de Cachoeira de Bueno Brandão foi incluído no Livro de Registro dos Saberes do município.

    Em um comunicado nas redes sociais, a Prefeitura de Bueno Brandão diz que o banho de cachoeira “evoca práticas milenares, que envolvem rituais de purificação do corpo, da alma e saberes médicos, científicos, sanitaristas e hábitos culturais”.

    Ponto turístico

    Bueno Brandão que é conhecida como a “Cidade das Cachoeiras” fica no sul do estado de Minas Gerais e está mais próxima de São Paulo (170 km) do que de Belo Horizonte (460 km).

    O município tem a prática do banho em quedas de água não só como uma tradição entre os moradores, mas também entre turistas das cidades próximas e de outras partes do Brasil.

    “Visitantes, turistas e banhistas buscam o município anualmente para repetir a prática do banho, para usar as cachoeiras como espaço de sociabilidade, de contemplação, de meditação e contato com a natureza”, diz a Prefeitura.

    Proteção ambiental

    Além de preservar os rituais, a transformação dos banhos de cachoeiras em patrimônio cultural visa “manter os mananciais  ativos e com volume de água suficientes e próprios para banho, sem contaminação química ou biológica”, diz a gestão municipal.

    No comunicado, a Prefeitura aponta ainda que, a regulação da ocupação consciente do solo “de forma harmônica com o bem cultural” ajuda a proteger as nascentes e as matas ciliares “que formam importantes corredores ecológicos”.

    Erramos: o título do texto e a descrição da foto continham o nome incorreto da cidade, além disso, foi dito que o patrimônio foi registrado no Livro dos Saberes do Iphan, quando, na verdade, o registro foi feito no livro do município. O texto foi atualizado para refletir as informações corretas. 

    Mais Recentes da CNN