Câmara de SP vota ‘auxílio emergencial paulistano’ na semana que vem

A ideia batizada como “Renda Básica Emergencial” reuniu 30 vereadores de 10 partidos, incluindo PT, PSOL, MDB, PSDB, PSL e Republicanos

Pedro Duran, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia
 

Três parcelas de R$ 100 podem ser pagas a partir do mês de outubro pra cerca de 1,5 milhão de pessoas no município de São Paulo. Isso se for aprovado o projeto do vereador Eduardo Suplicy (PT) que vai ser colocado na pauta na terça e quinta-feira da semana que vem.

Por sugestão do prefeito Bruno Covas (PSDB), o vereador e presidente da Câmara, Eduardo Tuma (PSDB), decidiu pautar o PL 207/2020 e adiantou à reportagem da CNN que a chance de aprovação “é de 100%”.

A ideia batizada como “Renda Básica Emergencial” reuniu 30 vereadores de 10 partidos, incluindo PT, PSOL, MDB, PSDB, PSL e Republicanos.

Assista e leia também:

13% da população adulta já tem anticorpos contra Covid-19 em SP, diz prefeitura
São Paulo tem festas clandestinas divulgadas por WhatsApp

O projeto prevê que o dinheiro seja repassado para beneficiários do programa Bolsa Família e vendedores ambulantes, mas que possa ser estendido para quem está no CadÚnico do governo federal, banco de dados que reúne beneficiários de programas sociais.

Se for aprovado, o projeto terá um impacto de R$ 450 milhões de reais nos cofres da prefeitura de São Paulo ainda no ano de 2020, em meio à queda de arrecadação por conta do coronavírus. O projeto precisa ser votado em dois turnos tendo pelo menos 28 votos, mais da metade dos 55 vereadores.

Mais Recentes da CNN