Caminhoneiros reclamam de falta de comida e preços abusivos em postos

Profissionais de transporte de carga que seguem trabalhando estão reclamando de falta de comida e preço abusivo em postos que continuam operando

Carla Bridi

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Em meio às restrições de circulação devido à pandemia do novo coronavírus, caminhoneiros que seguem trabalhando estão reclamando de falta de comida e preço abusivo em postos que continuam operando, mostra um levantamento feito pela Fretebras e divulgado pela CNN nesta segunda-feira (30). 

A pesquisa iniciada na última sexta-feira (27) foi feita com base nas respostas de caminhoneiros, que ajudaram a mapear as condições de mais de 600 postos em 24 estados do país. 

Segundo os caminhoneiros, em 23% dos postos, o diesel está com preço elevado; em 32%, não há restaurantes abertos — e quando há, em 18% dos casos as refeições servidas são vendidas a valores acima do normal. Além disso, 18% dos postos não têm ducha disponível; quando há, em 20% a água disponível está suja. 

À CNN, o caminhoneiro Jean Carlos Moreira Chaves ainda relatou outras dificuldades que a categoria tem enfrentado durante a época de pandemia. “Churrascarias e borracharias fechadas. Os postos de combustível com pessoal reduzido para abastecer. Não estamos tendo o apoio de ninguém”, disse.

Outros profissionais ouvidos pela CNN afirmaram que não estão tendo respaldo de nenhum órgão estadual ou organização. Eles contaram que tiveram somente a doação de alimentos e itens de higiene de uma igreja.

De acordo com o diretor de operações da Fretebras, Bruno Hacad, o levantamento começou após a empresa receber denúncias de funcionamento inadequado dos postos. A Fretebras faz a ponte entre caminhoneiros e transportadoras para mediar serviços de entrega. O objetivo da pesquisa é auxiliar os caminhoneiros em suas rotas, para que evitem se instalar em postos onde não há condições adequadas de estadia. 

Em nota à CNN, a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) informou que, desde o início da pandemia, está acompanhando de perto os casos citados e está fazendo campanha de conscientização para os caminhoneiros distribuindo kits de higiene e refeições. A CNTA também afirmou que criou um canal de denúncias específico para o período da pandemia, onde caminhoneiros devem informar casos de falta de estrutura ou quando tiverem o acesso negado aos estabelecimentos. 

Também em nota, o Departamento de Estradas de Rodagem de São Paulo (DER-SP) informou ter liberado por 30 dias a circulação de veículos de carga em estradas aos domingos, que normalmente é restrita. Ainda segundo o DER-SP, a pesagem de caminhões em rodovias estaduais foi suspensa por 90 dias e disponibilizaram áreas para descanso e banho em 14 postos. Denúncias de falta de estrutura podem ser feitas pelo número 0800 055 5510. 

Mais Recentes da CNN