Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Chuvas no RS: após rompimento em Cotiporã, mais 13 barragens estão em alerta no estado

    Segundo a Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema), barragens de usos múltiplos estão sendo monitoradas; dessas, cinco estão em processo de evacuação

    Luan Leãoda CNN*

    O governo do Rio Grande do Sul informou que mais 13 barragens estão em estado de alerta e sendo monitoradas pela Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema). A informação foi divulgada após o rompimento parcial da barragem 14 de julho, em Cotiporã, na tarde desta quinta-feira (2).

    A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), responsável pela barragem, informou ao governo que a estrutura já estava submersa e identificou uma movimentação mais turbulenta da água. A explicação para isso seria, possivelmente, pelo comprometimento da ombreira direita, uma das laterais que apoia a barragem. O órgão vai investigar o rompimento.

    “O grande problema agora é a velocidade com que a água vai descer rumo a Santa Bárbara e Santa Tereza. A altura da água não deve mudar muito, porque o nível do Rio das Antas estava passando sobre a barragem. O risco agora é a vazão a partir da barragem 14 de Julho”, explica o secretário da Casa Civil do estado, Artur Lemos.

    Os moradores dos municípios de Santa Tereza, Muçum, Roca Sales, Arroio do Meio, Encantado, Colinas e Lajeado devem deixar áreas de risco e procurar abrigos públicos ou outro local de segurança para permanecer durante a elevação de nível do rio. A recomendação foi feita pela Defesa Civil gaúcha logo após o rompimento da barragem.

    A Ceran (Companhia Energética Rio das Antas) informou que já havia acionado o Plano de Ação de Emergência, às 13h50 de quarta-feira (1º), para que a população pudesse ser retirada da região com segurança. A companhia informou, também, que monitora as barragens de Monte Claro e Castro Alves.

    Das 13 barragens em alerta, cinco estão em processo de evacuação: barragem Santa Lúcia, em Putinga; São Miguel do Buriti, em Bento Gonçalves; Belo Monte, em Eldorado do Sul; Dal Bó, em Caxias do Sul; e barragem Nova de Espólio de Aldo Malta Dihl, em Glorinha.

    Outras cinco barragens de geração de energia elétrica também estão em alerta e sendo monitoradas pela Aneel e o Operador Nacional do Sistema (ONS): a barragem de Capigui, em Passo Fundo; Guarita, em Erval Seco; Herval, Santa Maria do Herval; Passo do Inferno, São Francisco de Paula; e Monte Carlo, Bento Gonçalves – Veranópolis.