Cidades do ABC vão adiar retorno de aulas presenciais; governo de SP questiona

Um dos motivos para o adiamento se deu em função da expectativa do início da vacinação no estado no dia 25 de janeiro.

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

Em reunião do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, ficou definida que as sete cidades do grupo (São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Santo André, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra e Diadema) não vão seguir determinação do governo estadual e adiarão o retorno das aulas presenciais na rede pública e privada dos municípios. Uma nova reunião, prevista para o dia 26 de janeiro, definirá as datas em que isso irá acontecer, de acordo com o início da vacinação e a situação epidemiológica dos municípios.

Duas cidades do estado (Mauá e Ipuã) também já decidiram que não vão seguir o plano de retorno das aulas presenciais. A secretaria da Educação, entretanto, prepara-sa para acionar os municípios judicialmente.

O governo do Estado de São Paulo havia definido o retorno das aulas presenciais com até 35% dos alunos para o dia 1º de fevereiro, mas deu às cidades a opção de endurecer as medidas por motivos sanitários. Este foi o mecanismo usado pelos prefeitos do ABC para adiar o retorno das aulas com presença de alunos para o dia 18 de fevereiro na rede privada e 1º de março na rede pública.

 

Um dos motivos para o adiamento se deu em função da expectativa do início da vacinação no estado no dia 25 de janeiro.

A Secretaria de Educação do Estado de São Paulo disse que não foi informada da medida e lamentou a escolha, já que segundo o órgão não há embasamento científico para a decisão. A Secretaria disse ainda que vai tomar medidas judiciais cabíveis se não houver justificativa epidemiológica para o adiamento das aulas.

O secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, em reunião virtual com prefeitos na semana passada, chegou a dizer que os municípios que seguirem a risca determinações do Plano SP terão “prioridade” nos atendimentos junto ao governo.

(Com informações de Tainá Falcão. Publicado por Leonardo Lellis)

 

 

Mais Recentes da CNN