Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Combate ao trabalho escravo bate recorde de fiscalizações em 2021

    Ao longo de 27 anos, 57.644 trabalhadores foram resgatados no Brasil

    Trabalhador em fazenda de café em Campos Altos, Minas Gerais, durante operação contra trabalho escravo
    Trabalhador em fazenda de café em Campos Altos, Minas Gerais, durante operação contra trabalho escravo Foto: Adriano Machado - 12.ago.2019/ Reuters

    Levy Teles, do Estadão Conteúdo

    Ouvir notícia

    Auditores-fiscais do trabalho resgataram 1937 trabalhadores em condições de trabalho análogo ao escravo em 443 ações fiscais ao longo de 2021 – maior número de fiscalizações desde o começo da política pública de combate ao trabalho escravo, em 1995 – segundo dados da Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT).

    Assim como no ano passado, Minas Gerais lidera o ranking entre os Estados, com 768 resgatados – mais que o dobro do segundo colocado, Goiás, com 304. Os trabalhadores resgatados receberam R$ 10.229.489,83 em verbas salariais e rescisórias, o triplo do valor levantado em 2020 (R$3.607.952,32).

    Mais de 1.800 crianças e adolescentes foram registradas pela inspeção em situação de trabalho infantil. Quase a metade delas, 48%, exerciam atividade elencada na lista TIP, a de piores formas de trabalho infantil.

    Assim como no balanço anterior, a maior parte das operações de resgate aconteceram no trabalho rural: 89% das pessoas foram resgatadas no meio; 11%, no trabalho urbano; 27 dessas pessoas estavam no trabalho doméstico.

    O cultivo de café foi a atividade econômica com o maior número de trabalhadores resgatados (310). Em seguida, vieram o cultivo de alho (215), a produção do carvão vegetal (173), o serviço de preparação de terreno, cultivo e colheita (151), o cultivo de cana-de-açúcar (142) e a criação de bovinos para corte (106).

    O perfil social dos resgatados é de maioria masculina (90%) e de pretos ou pardos (80%). No perfil étnico, 3% dos trabalhadores resgatados eram indígenas.

    Ao longo de 27 anos, 57.644 trabalhadores foram resgatados no Brasil. Eles receberam mais de R$ 122 milhões em verbas salariais e rescisórias durante as operações.

    Mais Recentes da CNN