Conheça a história de Zeus, o cachorro adotado pela família Bolsonaro

'Se não tivesse sido eles que encontraram ele, talvez eu nunca mais tivesse visto o Zeus', afirmou o dono do animal

Da CNN

Ouvir notícia

Dono do cachorro que chegou a ser adotado pela família do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Nagib Zeidan relatou, em entrevista à CNN, nesta quinta-feira (2), que reconheceu o animal por uma marca em seu focinho. 

Há três semanas, o cão de um ano e cinco meses saiu da chácara onde mora e caminhou cerca de 3 km até ir parar no Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente da República.

Acolhido pela primeira-dama Michelle Bolsonaro, ele ficou 12 dias no local e ganhou até página no Instagram, mas foi reconhecido pelo dono.

“Reconheci ele pelo sinal que tem focinho desde que nasceu e pelo olhar também, que é um pouco caído”, contou Zeidan.

Leia também:

Bolsonaro usa foto de modelos em vídeo publicitário de conversa com cidadãos
Bolsonaro diz que pode escolher novo ministro da Educação nesta quinta

Chamado originalmente de Zeus, o bicho chegou a receber o nome de Augusto pela família Bolsonaro. Agora, o cachorro foi rebatizado como Zeus Augusto Bolsonaro.

Em vídeo publicado nas redes sociais, a primeira-dama afirmou que tinha consciência de que os donos do animal poderiam aparecer e contou que a página na rede social justamente para ajudar a encontrar o dono. “Eu ficaria muito feliz se tivesse perdido meu cãozinho e o dono me localizasse”,  disse ela.

“Foi muito bem cuidado, levado ao pet shop e recebeu muito amor e carinho da família Bolsonaro”, relatou Zeidan. “A Letícia, filha da primeira-dama, cuidou muito bem dele, levou para passear”, disse Zeidan. “Se não tivesse sido eles [família Bolsonaro] que encontraram ele, talvez eu nunca mais tivesse visto o Zeus”, concluiu.

Nagib Zeidan com o cachorro rebatizado Zeus Augusto Bolsonaro fala à CNN
Nagib Zeidan com o cachorro rebatizado Zeus Augusto Bolsonaro fala à CNN
Foto: CNN (2.jul.2020)

Alvorinho

Além de Zeus, outro cachorro tem fama por causa de sua presença do Palácio do Alvorada. Trata-se um animal que ganhou o apelido de Alvorinho – além de Faísca e Fumaça – e que já foi até citado por Bolsonaro.

Com “livre acesso”, ele interage com a imprensa, apoiadores do presidente que se reúnem diariamente no Alvorada e até acompanha Bolsonaro nas caminhadas.

Cachorro conhecido como Alvorinho por ficar na frente do Palácio do Planalto
Cachorro conhecido como Alvorinho por ficar na frente do Palácio da Alvorada
Foto: CNN (2.jul.2020)

(Edição: Leonardo Lellis)

Mais Recentes da CNN