Contra evasão, oficial da Unicef no Brasil defende reabertura segura de escolas

5,5 milhões de jovens e crianças estão sem atividades e aulas presenciais em 2020, aponta relatório da entidade

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 
Os estudantes em situação mais vulnerável no país são os mais propensos a abandonar a escola entre os mais de 5,5 milhões que estão sem atividades e aulas presenciais em 2020, segundo pesquisa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Quem alerta é a oficial de Educação do Unicef no Brasil, Julia Ribeiro, em entrevista à CNN nesta quinta-feira (28).

“São 1,38 milhão que disseram não frequentar a escola e 4,12 que disseram não desenvolver nenhuma atividade. Os que não tiveram acesso a atividades remotas no ano passado estão em um processo próximo de abandonar a escola, a perda de vínculo contribui para esse abandono. Precisamos identificar quem são os que não estavam frequentando a aula ano passado e desenvolver ações específicas que os tragam de volta”, explica.

 

Julia Ribeiro, oficial de Educação do Unicef no Brasil  (28.jan.2021)
Julia Ribeiro, oficial de Educação do Unicef no Brasil (28.jan.2021)
Foto: Reprodução/CNN

“A pandemia acentua as desigualdades que já existiam no país. Esses números mostram que tem um perfil específico de estudantes, negros, pobres do norte do país, que acabam vivendo maior vulnerabilidade. Infelizmente os dados apontam que a região norte apresentou o dobro da média nacional em relação às outras regiões”.

Julia acredita que seja possível retomar as aulas. “É preciso trabalhar de forma atenta para uma reabertura segura das escolas, de acordo com a situação epidemiológica de cada lugar e em uma avaliação contínua monitorada de perto com as autoridades sanitárias e educacionais. Não podemos continuar permitindo que crianças e adolescentes mais vulneráveis continuem sem acesso à educação”, argumenta.

(Publicado por Leonardo Lellis)

Mais Recentes da CNN