Corpo de piloto é resgatado quase três dias após queda de helicóptero do Ibama

Demora ocorreu por conta da dificuldade de acesso ao terreno alagado

Helicóptero do Ibama era usado em operação de combate ao fogo no Pantanal
Helicóptero do Ibama era usado em operação de combate ao fogo no Pantanal Foto: Reprodução

Rudá Moreira, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

O corpo do piloto Mauro Tadeu foi resgatado na manhã desta quinta-feira (3), de acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), quase três dias após a queda do helicóptero do órgão no Pantanal. A demora ocorreu por conta da dificuldade de acesso ao terreno alagado.

Devido à característica do solo naquela área do Pantanal, as máquinas que fizeram as tentativas anteriores afundavam ao se aproximar dos destroços da aeronave, que ficaram presos na lama com o impacto da queda.

Leia de assista também

Helicóptero do Ibama cai em combate a fogo no Pantanal; bombeiro militar morre

Ibama pede reforço para resgate no Pantanal após queda de helicóptero

A CNN apurou que o resgate só foi possível depois que o Ibama obteve o reforço de um helicóptero da Aeronáutica capaz de içar até quatro toneladas, que possibilitou o corte das ferragens para facilitar o acesso das equipes. A aeronáutica fará também a remoção dos destroços, que segundo o Ibama pesam cerca de 1,2 toneladas.

Mauro Tadeu tinha 54 anos de idade, era militar da reserva dos Bombeiros, e pilotava a aeronave que atuava no combate às queimadas no Parque do Pantanal Matogrossense. 

Ele perdeu o controle da aeronave e caiu sozinho, por volta das 11h desta segunda-feira (30), próximo à divisa entre o Mato Grosso e o Mato Grosso do Sul. Seu corpo só foi localizado horas depois. 

O Ibama afirma que o piloto era experiente e havia executado a manobra corretamente, de acordo com a tripulação que estava em solo. As causas do acidente estão sendo investigadas pela Força Aérea Brasileira.

 

Mais Recentes da CNN