Covid-19: vacinação para grávidas e puérperas é retomada no Rio de Janeiro

Secretaria Municipal de Saúde amplia repescagem para quem perdeu o dia de se imunizar

Vacina contra Covid-19 é aplicada em mulher grávida no estado de São Paulo
Vacina contra Covid-19 é aplicada em mulher grávida no estado de São Paulo Foto: Divulgação/Governo de SP (17.mai.2021)

Isabelle Resende e Isabelle Saleme, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Ao chegar no Museu da República, no Catete, zona sul do Rio de Janeiro, Maria Carolina Machado Vieira estava aliviada. “Além de me proteger, eu torço para que a minha filha já nasça com anticorpos”, disse a vendedora, de 25 anos.

Grávida de 29 semanas de uma menina, Aurora, a jovem tem bronquite e rinite crônicas e sobrepeso por causa da gestação. Assim que a imunização para grávidas foi retomada na capital fluminense, ela veio se proteger contra a Covid-19.

Além das gestantes, as puérperas, mulheres que acabaram de ter filhos, também têm esta terça-feira (15) e a próxima quinta (17) para ir aos postos.

A imunização, no entanto, é apenas para aquelas que têm comorbidades. No local de vacinação é necessário apresentar laudo médico detalhado justificando a recomendação e avaliação da relação risco-benefício para a vacinação. Também é preciso assinar um termo de consentimento.

A vacinação desse grupo tinha sido interrompida no último dia 10, por falta doses da Coronavac e da Pfizer.

Nos estoques da Secretaria Municipal de Saúde só havia imunizante da AstraZeneca disponível, mas aplicação em grávidas e puérperas da vacina desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford foi suspensa pelo Ministério da Saúde no último dia 11 de maio, por recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa.

O motivo foi a morte de uma mulher que estava grávida de 35 semanas no Rio de Janeiro. De acordo com as autoridades da saúde, ela teve uma trombose e não resistiu. O caso ainda está sendo investigado pelo Ministério da Saúde para saber se realmente há relação entre a aplicação da vacina e a morte da gestante.

Até agora na capital mais de 4.800 gestantes receberam a primeira dose do imunizante. Mais de 2 mil tomaram o imunizante da AstraZeneca. Com a chegada na semana passada de pouco mais de cem mil doses da Pfizer, o calendário foi retomado para o grupo.

Outras cidades do estado também seguem vacinando as gestantes e puérperas com comorbidades. É o caso, por exemplo, de Niterói, na Região Metropolitana; Nova Iguaçu, Mesquita e Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Já em São Gonçalo, também na Região Metropolitana, e Volta Redonda, no Vale do Paraíba, todas as grávidas e mulheres que acabaram de ter bebês com idades acima de 18 anos podem tomar o imunizante, mesmo que não tenham complicações de saúde.

Calendário por idade

Na capital, até o fim da semana, a prefeitura pretende vacinar toda a população acima de 50 anos. Nesta terça-feira (15), o Rio vacina pessoas com 52 anos ou mais.

Na quarta-feira (16), a vacinação por idade para, pois serão vacinados os profissionais da educação que atuam no ensino superior e profissionalizante. No dia seguinte (17), a imunização por idade será retomada, assim como a de gestante e puérperas.

Repescagem

Houve mudanças também na repescagem. Agora, quem perdeu a data de vacinação por idade poderá ir aos postos em qualquer dia e não só aos sábados, como era antes. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a abertura de repescagem por idade todos os dias ajudará a completar um grupo etário antes de começar o outro, na semana seguinte.

Mais Recentes da CNN