Depoimentos de médicos da Prevent serão em conjunto com a Polícia Civil, diz MP-SP

Até o momento, mais de 20 pessoas já foram ouvidas pelo Ministério Público de São Paulo, entre familiares e ex-pacientes

Fachada de hospital da Prevent Senior
Fachada de hospital da Prevent Senior ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Everton Souzada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Os promotores do Ministério Público de São Paulo informaram nesta quarta-feira (27) que 12 médicos da Prevent Senior devem ser ouvidos a partir da semana que vem. A força-tarefa apura crimes de homicídio, falsidade ideológica e falsificação de documentos.

Os depoimentos dos profissionais serão em conjunto com a Polícia Civil, que unificou todos os inquéritos contra a operadora em um único anexo, agora sob responsabilidade do DHPP – Departamento Estadual e de Homicídios e Proteção à Pessoa.

Até o momento, mais de 20 pessoas já foram ouvidas pelo Ministério Público de São Paulo, entre familiares e ex-pacientes. A estimativa é que mais de 50 oitivas serão feitas até o final das investigações. Nesta quarta-feira houve uma reunião com o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo – Cremesp.

Segundo o promotor Everton Zanella, o órgão será mais um que irá ajudar na perícia, análise técnica e de documentos, no que diz respeito aos prontuários e atestados de óbitos. A ideia da força-tarefa criminal é se cercar de todos os instrumentos dos órgãos de saúde, com subsídios técnicos e científicos, para embasar uma denúncia, caso algo seja comprovado.

Mais Recentes da CNN