DJ Ivis é preso no Ceará por agredir ex-mulher

Segundo o governador do estado, Camilo Santana, a prisão preventiva de Ivis foi solicitada pela Polícia Civil e pela Justiça do Ceará ainda nesta tarde

Elizabeth Matravolgyi, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

O governo do Ceará anunciou a prisão de Iverson de Souza Araújo, o DJ Ivis, na tarde desta quarta-feira (14), em Fortaleza (CE), por agressões contra a ex-mulher, Pamela Holanda.

Segundo o governador do estado, Camilo Santana, a prisão preventiva de Ivis foi solicitada pela Polícia Civil e pela Justiça do Ceará ainda nesta tarde.

 

No dia 11 de julho, Pamela divulgou vídeos que mostram o músico dando chutes e socos contra ela. As imagens, gravadas por câmeras de segurança do apartamento em que os dois moravam, em Fortaleza, mostram Ivis puxando o cabelo, dando socos e chutes na vítima. Os vídeos e fotos de hematomas foram publicados por Pamella em um pergil que mantém em redes sociais. 

Também pelas redes, DJ Ivis tentou justificar as agressões, alegando que a mulher dizia que iria se matar e que não estava mais aguentando as chantagens.

A produtora Vybe, que gerencia a carreira do artista, comunicou que ele foi afastado da empresa após a divulgação das imagens.

Artistas como Solange Almeida, Zé Felipe, Zé Vaqueiro e Marília Mendonça manifestaram apoio à Pamella.

Deezer e Spotify retiram músicas

Duas das principais plataformas de streaming musical resolveram retirar de suas playlists oficias — àquelas criadas pela própria empresa —  todas as faixas com participação de DJ Ivis.

Produtor do cantor Xand Avião, Ivis tem músicas que alcançaram o topo das mais tocadas, entre elas, “Esquema Preferido’’ e “Galega”.

Algumas dessas faixas, por estarem em alta, faziam parte dos destaques das plataformas, que resolveram excluir as músicas após a repercussão da divulgação, no último domingo (11), de vídeos que mostram o artista agredindo a ex-mulher, Pamella Holanda, na frente da filha bebê dos dois.

A Deezer informou que removeu todo o destaque editorial do artista, tanto em capas como em posições de playlists. 

“A Deezer não tolera qualquer tipo de violência, discriminação ou ódio contra indivíduos ou grupos por causa de raça, religião, gênero, sexualidade ou outros fatores e repudia veementemente as atitudes do DJ Ivis (Iverson de Souza Araújo). Sabemos que as devidas medidas já estão sendo tomadas e reiteramos publicamente que não compactuamos com toda e qualquer agressão, especialmente à mulher”, diz a plataforma em nota.

Já o Spotify confirmou à CNN que as músicas foram removidas, e destacou a política da empresa. “Continuaremos a buscar maneiras de impactar o bem maior e promover a indústria com a qual todos nos importamos”, afirmam. 

As imagens da agressão, gravadas por câmeras de segurança do apartamento em que os dois moravam, em Fortaleza, mostram Iverson de Souza Araújo, conhecido como DJ Ivis, puxando o cabelo, dando socos e chutes na vítima. Os vídeos e fotos de hematomas foram publicados por Pamella em sua rede social. 

DJ Ivis é investigado por agredir a mulher, que divulgou imagens da violência
DJ Ivis é investigado por agredir a mulher, que divulgou imagens da violência nas redes sociais
Foto: Reprodução/CNN Brasil (12.jul.2021)

Mais Recentes da CNN