Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dois helicópteros da polícia são atingidos no RJ; governo faz megaoperação contra criminosos

    Pelo menos mil agentes buscam criminosos envolvidos no treinamento de guerrilhas na Maré, na morte dos médicos na Barra e no lançamento de granada na Avenida Brasil

    Veículos do BOPE encaminhado para ação na Vila Cruzeiro, no Rio de Janeiro
    Veículos do BOPE encaminhado para ação na Vila Cruzeiro, no Rio de Janeiro Divulgação/Governo do RJ

    Rachel Amorimda CNN

    Rio de Janeiro

    O governo do Rio de Janeiro colocou em ação uma megaoperação contra organizações criminosas no Complexo da Maré, Vila Cruzeiro e Cidade de Deus. Também nesta segunda-feira (9), pelo menos dois helicópteros da polícia foram atingidos e tiveram de fazer pouso de emergência.

    Os helicópteros foram alvejados na Vila Cruzeiro. Uma aeronave é da Polícia Militar. A outra da Civil. Não houve feridos

    “As polícias seguem rigidamente o protocolo técnico. Então, qualquer avaria mas aeronaves, é feito um pouso de segurança para avaliação. As duas atingidas na Vila Cruzeiro, não houve feridos e elas podem inclusive voltar a operar. Estão sendo avaliadas neste momento”, explicou o secretário da Polícia Civil, José Renato Torres.

    Segundo o governo do Rio, a operação tem objetivo de prender envolvidos na escalada de violência nas últimas semanas. Pelo menos mil agentes estão nas ruas. São cumpridos 100 mandados de prisão.

    Até o momento, quatro prisões foram confirmadas. Todos são integrantes, segundo a polícia, da maior facção criminosa do Estado que, após anúncio de operação no Complexo da Maré, começaram a migrar para outras comunidades.

    A polícia busca envolvidos no treinamento de guerrilha na Maré, envolvidos nas mortes dos médicos e no lançamento de granadas na Avenida Brasil.

    Torres explicou o motivo da ação ser ampla. “A operação de hoje não é concentrada na Maré porque houve informação, de acordo com a inteligência, que houve deslocamento de criminosos do Complexo da Maré para Vila Cruzeiro, na Penha e para a Cidade de Deus. (Cidade de Deus inclusive apontada como reduto dos criminosos que mataram os médicos na Barra da Tijuca)”.

    “O diferencial da operação de hoje para outras já realizadas, é o aparato tecnológico utilizado. São câmeras nos uniformes dos policiais, drones com sistema de reconhecimento facial e placas e câmeras nas aeronaves. Tudo sendo acompanhado em tempo real pelo Comando de Controle da PM”, completou Torres.

    Uma coletiva do governo com mais informações deve ocorrer ainda nesta segunda-feira.