Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    É falso que homem disfarçado de mendigo tentou matar Bolsonaro

    Homem em situação de rua chegou a ser preso por furar o bloqueio de rua por onde motociata passaria, mas não portava uma faca

    Projeto Comprova

    Do Projeto Comprova

    Falso: Não é verdade que um homem disfarçado de mendigo tenha tentado matar o presidente Jair Bolsonaro (PL) com uma faca, durante motociata realizada no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, no último dia 7 de setembro, como afirma um vídeo no TikTok. Na ocasião, um homem em situação de rua chegou a ser preso pela Polícia Militar por furar o bloqueio da rua por onde a motociata iria passar, mas ele não portava uma faca e sim um rádio-comunicador.

    Conteúdo investigado: Vídeo postado no TikTok mostra um homem em situação de rua sendo preso pela polícia. O vídeo começa com o narrador falando “pessoal já vai levar, filho da *” e é acompanhado pela legenda: “Homem disfarçado de mendigo tenta matar Bolsonaro com uma faca hoje no aterro do Flamengo RJ”.

    Onde foi publicado: TikTok.

    Conclusão do Comprova: Vídeo que circula no TikTok não mostra a polícia prendendo um homem “que se fingiu de mendigo” para tentar se aproximar do presidente Jair Bolsonaro e matá-lo com uma faca na região do Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, durante motociata no último dia 7 de setembro. As imagens mostram Tiago da Silva Coelho sendo preso pela polícia no local, mas ele não portava nenhuma faca e não há indícios que ele tenha tentado se aproximar do presidente. A ocorrência foi noticiada ainda no dia 7, entre outros, pelo G1 e o jornal O Globo.

    Conforme a delegacia de polícia responsável pelo caso informou ao Comprova, Tiago furou o bloqueio e atravessou a rua por onde passaria a motociata para pegar um rádio-comunicador, que caiu de um dos capacetes dos policiais que faziam a escolta da motociata. Inicialmente o objeto chegou a ser confundido com uma faca pelos próprios policiais, mas a hipótese foi descartada após Tiago ser revistado e encaminhado para a delegacia. Ainda de acordo com a polícia, o homem em situação de rua tem 26 anos, nasceu no município de Duque de Caxias (RJ) e é usuário de crack.

    Falso para o Comprova é todo conteúdo inventado ou que tenha sofrido edições para mudar o seu significado original e divulgado de modo deliberado para espalhar uma falsidade.

    Alcance da publicação: Até o dia 19 de setembro, a postagem no TikTok que deu origem à verificação do Comprova teve 417,5 mil visualizações, 12,4 mil curtidas, 2.496 comentários e 6987 compartilhamentos.

    O que diz o autor da publicação: O TikTok não permite o envio de mensagens entre contas que não se seguem mutuamente. O Comprova encontrou um perfil no Facebook com a mesma foto e o mesmo nome do perfil do TikTok responsável pela postagem (Helena Claudia Avelino Gomes). Uma mensagem privada foi enviada para a conta, mas não houve retorno até a publicação desta checagem.

    Como verificamos: Na verificação, a equipe do Comprova buscou informações no Google, o que possibilitou acesso a diferentes publicações envolvendo o assunto (G1, O Globo e Carta Capital).

    Em seguida, a partir da análise de fotografias, a equipe procurou o local do fato. O Google Maps foi consultado e retornou resultados com imagens do Monumento Nacional aos mortos na Segunda Guerra Mundial, localizado na avenida Infante Dom Henrique, nº 75, no Rio de Janeiro.

    O delegado Rafael Barcia, titular do 9º DP (Catete), também foi entrevistado, e tivemos a confirmação do local da ocorrência, bem como a identidade do homem detido.

    O Comprova também buscou em outras redes sociais postagens com conteúdo semelhante para tentar localizar a origem do vídeo. Por fim, o Comprova buscou informações em outras redes sociais sobre a autora da postagem e entrou em contato por mensagem privada no Facebook.

    Homem levado pela polícia não tinha faca

    A prisão de um homem em situação de rua que tentou furar o bloqueio da motociata do presidente Jair Bolsonaro, no último dia 7 de setembro, no Rio de Janeiro, foi noticiada, entre outros, pelo G1, O Globo e Carta Capital. De acordo com o delegado Rafael Barcia, titular da 9ª Delegacia de Polícia do Rio de Janeiro e responsável pela investigação do caso, Coelho estava desarmado, e o único objeto encontrado com ele foi um rádio-comunicador. O equipamento havia caído do capacete de um dos policiais que faziam a escolta da motociata e estava no chão, quando o morador em situação de rua furou o bloqueio para pegá-lo.

    Em contato com o Comprova, Barcia ainda esclareceu que Coelho estava no meio da multidão, acompanhando a motociata e que militares à paisana desconfiaram quando ele pegou o objeto do chão. Inicialmente, o rádio-comunicador chegou a ser confundido com uma faca, o que, segundo Barcia, gerou um princípio de tumulto entre os presentes. O delegado enviou ao Comprova uma foto do objeto apreendido com Coelho, e disse se tratar de um rádio-intercomunicador para capacete de motocicletas.

    Foto do rádio-comunicador apreendido enviada pelo delegado Rafael Barcia ao Comprova. / Projeto Comprova

    De acordo com o delegado Barcia, Tiago da Silva Coelho foi levado para a 9ª Delegacia de Polícia do Rio de Janeiro, no bairro do Catete. “Ele estava bem agitado e alternando momentos de lucidez com paranoias. Discutiu com os policiais pois dizia que os militares tentaram retirar dele o objeto [comunicador] que ele mesmo havia encontrado no chão”, afirmou. “Ele [Tiago] não entrou em detalhes sobre posições/preferências políticas”, concluiu Barcia.

    No vídeo da abordagem filmado pelo jornal O Globo, Coelho fala em direção à câmera: “não fiz nada, eles estavam correndo atrás de mim sem eu fazer nada. Eu fui correndo mesmo no meio da rua, mas não tentei fazer nada com ninguém”. Uma voz (provavelmente de quem estava filmando a cena) pergunta: “Mas você estava com faca?”, e Tiago responde: “Não. Aqui, o dispositivo está aqui, não é faca, é um plástico, não é nada. Eu vim correndo, não fiz nada com ninguém, desde que eu entrei lá, ó, desde cedo, eu falo a verdade”.

    Segundo o delegado Barcia, Coelho tem 26 anos e nasceu no município de Duque de Caxias (RJ). Ele é usuário de crack, está em situação de rua e já teve outras passagens pela polícia por roubo, furto, desacato a autoridade e briga de rua. Após chegar na delegacia, Coelho foi autuado no artigo 132 do Código Penal por colocar a vida ou a saúde de pessoas em perigo direto e iminente. Após registrar um Termo Circunstanciado, ele foi liberado e vai responder em liberdade.

    Vídeo mostra homem em situação de rua sendo preso

    O vídeo aqui analisado mostra um homem sendo imobilizado por policiais em meio a uma multidão. Após ser imobilizado, ele é conduzido para o outro lado da rua, até uma região com um gramado. É possível confirmar que trata-se do momento da prisão de Tiago Santos Coelho, no último dia 7 de setembro, na cidade do Rio de Janeiro, a partir da comparação de alguns elementos visuais presentes no vídeo aqui analisado e em uma filmagem publicada pelo jornal O Globo no Twitter, que noticiou o ocorrido.

    Com 1 minuto e 10 segundos do vídeo publicado no TikTok, enquanto os policiais encaminhavam Coelho para uma área com gramado, é possível ver um monumento ao fundo. A mesma estrutura, também com uma região com gramado à frente, pode ser vista no vídeo publicado pelo jornal O Globo no Twitter, a partir de 15 segundos, conforme os prints abaixo.

    Frame do vídeo publicado no TikTok (à esquerda) e print da reprodução do vídeo publicado no Twitter do jornal O Globo (à direita). / Projeto Comprova

    Trata-se de uma estrutura que pertence ao Monumento Nacional aos mortos na Segunda Guerra Mundial, também conhecido como “Monumento dos Pracinhas”, localizado na avenida Infante Dom Henrique, nº 75, no Rio de Janeiro. Pelo Google Maps é possível confirmar que a mesma estrutura aparece nos dois vídeos. O local em que foi feita a abordagem ao morador em situação de rua também foi confirmada ao Comprova pelo delegado Rafael Barcia.

    | Print do google maps da fachada do Museu em homenagem aos mortos na Segunda Guerra Mundial. / Projeto Comprova

    No entorno de toda a região do gramado também é possível ver, tanto no vídeo do jornal O Globo quanto no conteúdo do TikTok, a presença de diversas estruturas na cor laranja, o que reforça que ambas as filmagens foram feitas no mesmo local. Além disso, nas duas filmagens, o homem que está sendo levado pela polícia está coberto com material plástico preto, similar a um saco de lixo, o que também reforça se tratar da mesma pessoa.

    | Print do vídeo do jornal O Globo mostrando as estruturas laranjas ao redor do gramado. / Projeto Comprova
    | Prints do vídeo do TikTok mostrando o material plástico preto, que parece ser um saco de lixo, colado ao corpo do homem que está sendo levado pela polícia. / Projeto Comprova

    O Comprova não conseguiu identificar quem é o autor do vídeo e em quais circunstâncias o material começou a circular, mas existem outras postagens do mesmo conteúdo no TikTok, Facebook e no Twitter, sempre insinuando que seria alguém com uma faca e que teria tentando matar o presidente Bolsonaro. A mais antiga delas identificada pelo Comprova aconteceu no Facebook, no último dia 12 de setembro (quatro dias antes da postagem do TikTok aqui analisada).

    A motociata de Bolsonaro no Rio de Janeiro

    O presidente Jair Bolsonaro participou de atos no último dia 7 de setembro em Brasília e no Rio de Janeiro. Na capital carioca, ele chegou por volta das 14h, na região do Aterro do Flamengo, de onde saiu em motociata com apoiadores. A concentração da motociata aconteceu próximo ao Monumento dos Pracinhas, onde o vídeo aqui analisado foi gravado. Dali, Bolsonaro e seus apoiadores se dirigiram para a Praia de Copacabana, onde o presidente acompanhou o desfile militar e, sem seguida, discursou para seus apoiadores pedindo votos e em tom de campanha.

    Por que investigamos: O Comprova investiga conteúdos suspeitos que viralizam na internet e estão relacionados com as eleições presidenciais, a realização de obras públicas e a pandemia da covid-19. A equipe tem como foco as publicações virais, que tiveram grande alcance nas redes sociais e podem confundir a população.

    Durante o período que antecede as eleições no Brasil, muitos conteúdos estão sendo divulgados com o objetivo de tumultuar o processo. Isso colabora para confundir eleitores e criar teorias falsas sobre a realidade dos fatos.

    Outras checagens sobre o tema: Recentemente, o site boatos.org realizou checagem do mesmo assunto e chegou à conclusão de que se trata de notícia falsa.

    Também há poucas semanas, o Comprova fez a checagem de outros assuntos envolvendo conteúdos falsos. No final de agosto, foi confirmado como falso o vídeo que mostra Bolsonaro à frente na pesquisa Ipec do dia 15 de agosto de 2022. Semanas atrás, o Comprova também concluiu como falso um áudio em que o presidente teria xingado Michelle Bolsonaro antes do desfile de 7 de Setembro.

    Investigado por: CNN Brasil, Portal Norte de Notícias, Piauí e O Estado de S. Paulo. Verificado por: O Dia, Correio de Carajás, UOL, Metrópoles, Plural, Imirante.com e Folha de S. Paulo.