Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Ele tem que ser encontrado”: mulher de jornalista desaparecido no Amazonas faz apelo

    Alessandra Sampaio divulgou vídeo em redes sociais onde pede que Dom Phillips seja achado vivo ou morto

    Dom Phillips, jornalista britânico do The Guardian, e o indigenista Bruno Araújo Pereira (chapéu)
    Dom Phillips, jornalista britânico do The Guardian, e o indigenista Bruno Araújo Pereira (chapéu) Divulgação/Acervo Pessoal

    Júlia Vieirada CNN

    Alessandra Sampaio, mulher do jornalista britânico Dom Philips, que desapareceu no último domingo (5) no Vale do Javari, Amazonas, fez um apelo às autoridades brasileiras nas redes sociais. Ela publicou um vídeo, que foi republicado por colegas do inglês, em que pede ao governo federal e aos órgãos competentes que intensifiquem as buscas.

    “A gente ainda tem esperança de encontrar eles”, confessa a mulher, aos prantos. Além de Philips, o indigenista Bruno Pereira também desapareceu na ocasião.

    “Mesmo que eu não encontre o amor da minha vida vivo, ele tem que ser encontrado. Por favor”, pede Alessandra.

    Equipes da Fundação Nacional do Índio (Funai), da Força Nacional e da Polícia Federal retomaram, nesta terça-feira (7), as buscas pelo indigenista e o jornalista inglês, que é correspondente do jornal “The Guardian”.

    A informação foi publicada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, no Twitter.

    De acordo com a União das Organizações Indígenas do Vale do Javari (Univaja), Phillips seguia para uma localidade chamada Lago do Jaburu para entrevistar indígenas, acompanhado de Pereira.

    A Funai informou nesta terça que 15 servidores do órgão e da Força Nacional de Segurança Pública estão na região para buscas de informações e pistas dos desaparecidos.

    São quatro embarcações em deslocamento na área, uma partindo da Base de Proteção Etnoambiental (Bape) Itui-Itaquaí, duas saindo de Atalaia do Norte e uma embarcação saindo da Bape Quixito para percorrer o trajeto do rio Quixito, reforçando os trabalhos nas áreas de busca.

    Leia abaixo a nota do Itamaraty sobre o desaparecimento

    Desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips na Amazônia

    O Governo brasileiro tomou conhecimento, com grande preocupação, da notícia de que o jornalista britânico Dom Phillips e o indigenista Bruno Pereira estão desaparecidos na região do Vale do Javari, na Amazônia.

    Mobilizado desde logo, o Departamento de Polícia Federal (PF) está atuando naquela região e tomando todas as providências para localizá-los o mais rápido possível. A PF fez repetidas incursões e tem contado com o apoio da Marinha do Brasil, que se somou aos esforços nos trabalhos de buscas de ambos os cidadãos.

    O Governo brasileiro seguirá acompanhando as buscas com o zelo que o caso demanda e envidando os esforços necessários para encontrar prontamente o profissional da imprensa britânica e o servidor da Fundação Nacional do Índio.

    Na hipótese de o desaparecimento ter sido causado por atividade criminosa, todas as providências serão tomadas para levar os perpetradores à Justiça.

    Os familiares e colegas de trabalho dos desaparecidos serão mantidos a par do progresso das buscas.

    Nota da Polícia Federal

    A Polícia Federal informa que desde que tomou conhecimento do desaparecimento do indigenista Bruno Araújo Pereira, da Fundação Nacional do Índio (Funai), e do jornalista inglês Dom Phillips, colaborador do jornal The Guardian, vem realizando medidas investigativas e de inteligência policial visando o esclarecimento dos fatos e a resolução do caso.

    Na data de ontem, 06/06/2022, com o apoio da Marinha, foram realizadas incursões na calha do Rio Itaquaí, mais precisamente no trecho compreendido entre a frente de proteção etnoambiental itui-itauqai e o município de Atalaia do Norte/AM, região noroeste do Amazonas.

    Das diligências efetuadas foi possível identificar 02 (duas) pessoas que tiveram contato com os desaparecidos, as quais foram encaminhadas à Polícia Civil de Atalaia do Norte para prestar esclarecimentos. Porém, nenhuma delas foi presa.

    No início da manhã de hoje, 07/06/2022, as buscas foram retomadas pela Marinha e a Polícia Federal, com novas incursões no rio e com o apoio de helicóptero sobrevoando a região.

    Com a evolução do caso novas informações serão divulgadas.