Elza Soares à CNN: música tem poder de mobilizar as pessoas

Em entrevista concedida à apresentadora Luciana Barreto em 2019, cantora afirmou que sua voz "é para dizer o que se cala". Elza Soares faleceu aos 91 anos no dia 20

Da CNN Brasil

Ouvir notícia

Uma das maiores vozes do Brasil e do mundo, cuja vida virou filme, livro, musical e se eternizou na cultura brasileira: Elza Soares, que faleceu na quinta-feira (20) aos 91 anos, falou com a apresentadora da CNN Luciana Barreto em 2019 sobre seu desejo de cantar até o fim da vida – uma promessa que cumpriu.

“Nunca! Já falei: só [paro de cantar] a hora que o papai do céu disser. Enquanto ele não disser ‘chega’, eu tô aí”, afirmou a cantora.

Elza Soares afirmou que a música “sempre tem” o poder de mobilizar as pessoas, e disse acreditar que, por meio da boa música brasileira, era possível pensar em um país grandioso.

“Não é que a música ainda tem, a música sempre tem esse poder. Através da música você vê muita coisa boa. Um grande país também é grande quando ele tem boa música, por isso eu choro muito, falo muito da boa música no brasil, para ele se tornar um grande país também”, declarou.

Questionada sobre sua voz para além dos palcos, Elza Soares afirmou que sua voz era “para dizer o que se cala” sobre diversas realidades no país.

“Enquanto eu tiver voz, se puder falar, eu vou falando e gostaria que tivesse eco. O meu país é meu lugar de fala, a minha voz é para dizer o que que se cala”.

Entre os problemas e medos sentidos pela população brasileira, a cantora elencou que a educação, a saúde e o receio das perseguições na área da cultura e no quesito racial se destacavam. Porém, para Elza, era preciso não ser dominado por tais sensações.

“O medo faz medo, então temos que fugir do medo pra conseguirmos alguma coisa. Por favor, não deixe o medo dominar. Se o medo domina, acabou tudo”.

Mais Recentes da CNN