Em depoimento, Dr. Jairinho nega agressão e denúncias de ex-namorada e ex-esposa

Vereador e Monique Medeiros, sua atual namorada e mãe do menino Henry, cumprem prisão temporária por 30 dias

Momento da prisão do Dr. Jairinho
Momento da prisão do Dr. Jairinho Foto: Reprodução/Polícia Civil

Iuri Corsini e Beatriz Puente, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Em depoimento prestado à polícia, o vereador Jairo Souza Santos Júnior, conhecido como Dr. Jairinho, negou as acusações feitas por uma de suas ex-namoradas, que afirmou que ela e sua filha de 3 anos foram agredidas pelo vereador, entre os anos de 2010 e 2012. O parlamentar também negou as agressões relatadas por sua ex-esposa. O depoimento foi concedido ao delegado Adriano Marcelo Firmo França, titular da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV).

De acordo com o parlamentar, ele e essa ex-namorada, que é cabeleireira, mantiveram o relacionamento enquanto o vereador ainda estava casado com sua esposa na época. 
Jairinho afirmou que ele e a cabeleireira tinham um relacionamento tranquilo, sendo o único empecilho a vontade da ex-namorada para que ele se separasse de sua então esposa. Ainda segundo o vereador, a cabeleireira, após o término do relacionamento, enviava mensagens pejorativas para sua esposa à época.

Ao ser questionado sobre possíveis agressões cometidas contra a filha de sua ex-namorada, que na ocasião tinha entre 3 e 4 anos, Jairinho também negou. Disse que tinha uma relação amistosa com a criança, mas a via em poucas ocasiões e que nunca ficou sozinho com a criança.

Em depoimento realizado à polícia, que foi confirmado pela CNN com uma fonte que não quis se identificar, essa ex-namorada relatou diversas agressões à sua filha. Segundo relatou em depoimento, Jairinho teria afundado a cabeça da criança na piscina, torcido seus braços e pernas, e até mesmo colocado um saco em sua cabeça. Ela também relatou uma discussão que tiveram em um restaurante, ocasião em que ela e a filha deixaram o local a pé. Jairinho teria ido atrás delas de carro e forçado ambas a entrarem no veículo. O vereador voltou a negar as acusações, dizendo nunca ter cometido tais agressões.

Outra acusação que recai sobre Jairinho é de sua ex-esposa, mãe de um de seus filhos.

Elas moravam em um condomínio na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, até o fim de 2019. De acordo com policiais civis envolvidos na investigação, ela chegou a registrar uma ocorrência contra Jairinho, em 2014, por ter sido puxada pelo vereador pelo braço e agredida fisicamente. Logo após a denúncia, ela tentou retirar a queixa, mas não conseguiu porque, segundo os policiais, o laudo do exame de corpo de delito comprovou as agressões. No entanto, como não deu prosseguimento às acusações, o caso acabou arquivado.

No depoimento, Jairinho também negou esse fato reportado e disse que as “brigas esporádicas” que tinham, as agressões “eram somente verbais”, mas que nunca havia a agredido fisicamente. Uma das razões dessas brigas seriam mensagens que sua ex-namorada enviava para sua então esposa na época.

Jairinho e Monique Medeiros, sua atual namorada e mãe do menino Henry, ingressaram no sistema prisional no final da tarde de quinta-feira (8), após audiência de custódia. Ambos cumprem prisão temporária por 30 dias.

Segundo a polícia, a prisão temporária contra os dois foi pedida porque eles obstruíam as investigações, intimidavam testemunhas – como ex-namoradas de Jairinho – e combinavam versões.  Ambos são investigados pela morte de Henry, de apenas 4 anos.

Mais Recentes da CNN