Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Empresários suspeitos de fraudar licitação são indiciados em Minas Gerais

    A tentativa de fraude foi em uma licitação promovida pela prefeitura São Sebastião do Paraíso, no sul do estado

    Empresários suspeitos de fraudar licitação são indiciados em Minas Gerais
    Empresários suspeitos de fraudar licitação são indiciados em Minas Gerais Divulgação/PCMG

    Daniela Mallmannda CNN

    Belo Horizonte

    Três empresários que concorriam em uma licitação promovida pela Prefeitura de São Sebastião do Paraíso, no sul de Minas Gerais, foram indiciados pela Polícia Civil (PCMG), após a conclusão de uma investigação que apurou a tentativa de fraude no pregão.

    Os fatos ocorreram em 26 de outubro de 2023, quando os concorrentes do processo licitatório foram convocados para apresentarem os lances na prefeitura. O certame visava à aquisição de mobiliários para o município de São Sebastião do Paraíso.

    Durante a sessão, a servidora pública municipal responsável pelo pregão foi comunicada por um dos concorrentes que alguns licitantes estavam combinando os preços a serem ofertados como lance. Um áudio contendo a conversa entre os suspeitos foi gravado pelo empresário.

    Os servidores municipais verificaram indícios de fraude, acionaram a polícia para registro da ocorrência e suspenderam o processo licitatório imediatamente. A PCMG, então, instaurou inquérito policial para investigar o caso.

    Segundo o delegado Rafael Gomes, o áudio da gravação na qual dois licitantes ajustam os preços que pretendiam oferecer em cada produto da licitação, foi apreendido.

    Ainda de acordo com o delegado, foi apreendida também com um dos suspeitos, uma lista dos produtos que seriam comprados pelo município, com anotações manuscritas indicando qual empresa deveria vencer em relação ao respectivo item.

    Após análise do áudio e dos documentos apreendidos, bem como colhidos depoimentos de testemunhas e dos suspeitos, três empresários, com idades entre 27, 32 e 40 anos, foram indiciados pelo crime de tentativa de frustração do caráter competitivo de licitação, cuja pena pode chegar a oito anos de reclusão.

    O inquérito policial foi encaminhado à Justiça.