Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Escolas, estabelecimentos e postos destelhados: microexplosão atinge cidade do RS

    Defesa Civil do estado afirma que fenômeno é causado por intensa instabilidade relacionada a uma frente fria

    Escolas, estabelecimentos e postos destelhados: microexplosão atinge cidade do RS
    Escolas, estabelecimentos e postos destelhados: microexplosão atinge cidade do RS Divulgação/Brigada Militar

    Julia Fariasda CNN*

    Cerca de 1200 casas, quatro escolas, dois postos de saúde, o prédio da Secretaria Municipal da Saúde, o Museu Arqueológico e diversos estabelecimentos comerciais foram destelhados por ventos fortes e queda de granizo na noite deste sábado (15), em São Luiz Gonzaga, no Rio Grande do Sul.

    De acordo com a Defesa Civil do estado, o fenômeno foi classificado pela Sala de Situação como uma microexplosão, que é resultado de uma intensa instabilidade que se relaciona com uma frente-fria estacionária.

    Conforme explica o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), essa frente fria diz respeito ao momento em que não ocorre avanço nem de ar frio e nem de ar quente, ou seja, uma frente com pouca movimentação.

    A microexplosão, portanto, faz referência a um fenômeno que pode ocorrer quando existem tempestades intensas com muitas descargas elétricas, granizo e muita água na sua base.

    Em nota, a Defesa Civil informou maiores detalhes com relação ao evento climático:

    “Quando uma nuvem não suporta mais a quantidade de água, ela “despeja” toda essa quantidade significativa de chuva em direção ao solo, fazendo com que ocorra muita precipitação em pouco tempo, geralmente sendo acompanhada de rajadas de vento que podem chegar a 150km por hora”, explicou a Defesa.

    No início da madrugada deste domingo (16), a Defesa Civil deslocou uma equipe até a cidade, localizada há cerca de 500 quilômetros da capital Porto Alegre, para apoiar a administração municipal. Além do órgão, atuam no município guarnições da Brigada Militar e o Corpo de Bombeiros Militar.

    (*Sob supervisão de Marcos Guedes)