Estado de SP tem 1.667 mortes por COVID-19; bebê de 7 meses está entre vítimas

Segundo o governo, estão ocupados 58,9% dos leitos de UTI para tratamento contra o coronavírus

UTI do hospital do Mandaqui, em São Paulo, está repleta de pacientes com COVID-19
UTI do hospital do Mandaqui, em São Paulo, está repleta de pacientes com COVID-19 Foto: CNN

Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

Um bebê de sete meses está entre as vítimas do novo coronavírus em São Paulo. Segundo números da Secretaria Estadual de Saúde divulgados neste sábado (25), já são 1.667 mortes por COVID-19 no estado. Até as 15 horas, eram 20.004 casos confirmados. Nas últimas 24 horas, 155 novas mortes pela doença foram registradas.

Entre as novas mortes confirmadas, está a primeira de uma criança com menos de 10 anos na capital paulista. A vítima tinha sete meses de vida e apresentava comorbidades, que não foram detalhadas pela secretaria.

Leia também:

São Paulo terá QR Code para identificar mortos pela COVID-19 em cemitérios

Segundo o governo, estão ocupados 58,9% dos leitos de UTI no estado. A situação é mais grave na Grande São Paulo, que tem ocupação de 77,3%. Na capital, dados da sexta-feira (24) apontavam que 67% dos leitos de UTI reservados para COVID-19 na rede municipal estavam ocupados.

Em 24 horas, mil novos pacientes foram internados sob suspeita de infecção pelo novo coronavírus no estado, aumentando para 7,4 mil o número de casos suspeitos e confirmados em hospitais (dos quais 2.906 estão em UTI).

Entre as vítimas fatais, estão 974 homens e 693 mulheres. A maioria dos óbitos são de pacientes com mais de 60 anos, que são 75,4% do total. Fora deste grupo, a distribuição é a seguinte: 211 mortos entre 50 e 59 anos; 120 entre 40 e 49 anos; 60 entre 30 e 39 anos; 14 entre 20 e 29 anos; quatro entre 10 e 19 anos; e um abaixo dos 10 anos.

Mais Recentes da CNN