Estudo da CNM mostra taxa de ocupação de UTI acima de 90% em metade das cidades

À CNN, presidente da Confederação Nacional dos Municípios detalhou levantamento feito pela entidade junto a prefeituras

Produzido por Jorge Fernando Rodrigues, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Um levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM) realizado entre a última segunda e quinta-feira (21 a 24) aponta que a ocupação de leitos de UTI para Covid-19 está acima de 90% em metade das cidades do país que responderam à pesquisa, e que a situação é ainda pior na região Sul e Sudeste. Em entrevista à CNN neste domingo (27), o presidente da entidade, Paulo Ziulkoski, explicou os números.

Segundo a pesquisa, dos 2.747 municípios que responderam o estudo, 30,5% afirmaram que a ocupação dos leitos está acima de 95% e outros 19,1% disseram ter lotação acima de 90%. “A situação mais crítica é no Sul e no Sudeste, mas, se extrapolarmos para o total de 5.570 municípios do país, o número é mais alarmante”, afirmou Ziulkoski à CNN.

Ziulkoski ressaltou que a resposta ao questionário entre as regiões do país foi desigual, o que pode ter levado à conclusão de que Sul e Sudeste estejam em situação mais crítica que as demais. “82% dos municípios do Sul responderam, no Nordeste foram 35% e no Norte cerca de 30%. Se basearmos no total dos que responderam, a parte mais aguda, com mais aceleração, é no Sul e no Sudeste”.

Leitos de enfermaria

Outro dado apontado na 14ª semana de pesquisa é um aumento na ocupação de leitos de enfermaria. “Isso pressiona para o aumento nas UTIs e preocupa muito. A grande verdade é que estamos estabilizados em nível nacional, mas num patamar muito alto, um número bastante preocupante”, disse Ziulkoski. “Não gostaríamos de admitir, mas os últimos dados indicam até um crescimento e não podemos aceitar mais de 2 mil mortes por dia.”

Para que a situação no país não se agrave, Ziulkoski defende coordenação em nível nacional. “O governo federal, pelo SUS, deveria traçar normas técnicas e legais e fornecer recursos ou insumos, isso não está ocorrendo, recai muito nos municípios. Se tivéssemos vacina disponível, estaríamos vacinando cerca de 50 a 60 milhões de pessoas por mês. Os municípios fazem seu trabalho, quem não fez foi a União em se planejar melhor, embora haja um pouco mais de planejamento agora”, criticou.

Famílias enfrentam grandes dívidas ao procurarem leitos de UTI em SP
Leitos de UTI para Covid-19 (21.mar.2021)
Foto: Reprodução / CNN

Mais Recentes da CNN