Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ex-pastor evangélico que se passava por fiel é preso por assaltar igrejas no DF

    Pelo menos três templos foram roubados pelo homem, que já tinha condenações anteriores por roubos no Distrito Federal e em São Paulo.

    Imagens de câmeras de segurança flagraram ex-pastor em ação
    Imagens de câmeras de segurança flagraram ex-pastor em ação

    Felipe SouzaVictor Aguiarda CNN*

    A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu, na noite desta quarta-feira (6), um homem de 40 anos autuado por, entre outros delitos, assaltar à mão armada pelo menos três templos evangélicos no DF.

    Segundo a polícia, ele estava foragido quando cometeu os crimes. O suspeito é ex-pastor de igrejas evangélicas em Taguatinga (DF) e Céu Azul (GO).

    O homem, que não teve a identidade revelada, realizou os assaltos a igrejas em julho e agosto de 2023. Os roubos foram cometidos nas regiões de Gama, Santa Maria e Recanto das Emas, também no Distrito Federal.

    Uma das ações do criminoso foi registrada pelas câmeras de segurança de uma igreja. Nas imagens, é possível ver o momento em que o ex-pastor se passa por fiel para receber bênçãos de um religioso. Alguns momentos depois, ele rende o outro homem com uma arma. Veja:

    “Os crimes, geralmente, ocorriam no início do mês, quando a contribuição dos fiéis é maior. Em uma das igrejas, o indiciado subtraiu cerca de R$ 75 mil”, informou a polícia em nota.

    Ainda segundo a Polícia Civil, ele foi detido em Valparaíso (GO) durante o cumprimento de dois mandados de prisão preventiva, tendo sido flagrado na posse de um veículo com restrição de furto e com os sinais identificadores adulterados.

    O criminoso foi indiciado por roubo majorado. Caso condenado, ele pode pegar até 15 anos de prisão, para cada um dos crimes. A polícia investiga, ainda, se outros roubos não foram feitos em igrejas próximas da região.

    Como o nome do suspeito não foi divulgado, a CNN não conseguiu localizar a defesa dele para pedir um posicionamento. O espaço segue aberto para futuras manifestações.

    *Sob supervisão de Bruno Laforé